sexta-feira, 29 de outubro de 2010

MINHA TERRA, ÁFRICA

Encaminhado por
Nair Lúcia de Britto

MINHA TERRA, ÁFRICA
 
Uma estória contemporânea ambientada em um pais Africano não nomeado, devastado pela rebelião.

 

Em uma província rural, local de nascimento de um dos chefes rebeldes, Maria, uma destemida e forte mulher branca, se recusa a abandonar suas plantações de café ou de reconhecer o perigo em que isso coloca sua família. Para Maria, partir é se render, um sinal de fraqueza, de covardia.

 

Nessa plantação, que foi passada por três gerações de brancos, André – seu ex-marido, e pai do filho adolescente – teme pelo orgulho cego e resistente da mulher. Sem ela saber, ele arruma um jeito de sair do pais. As plantações já não significam mais nada para ele. Ele se casou de novo com uma jovem africana, com quem tem um filho, e por eles fará qualquer coisa, até mesmo trair Maria, colocando o destino dela nas mãos do prefeito da cidade - um homem que ele acredita ser um aliado – mas que está diretamente envolvido nos conflitos, e seus interesses vão muito além de ajudar os pobres ou acolher famílias brancas.

 

Nem Maria nem André sabem que sua casa, e até mesmo a plantação, são refúgios de um oficial rebelde – um homem desesperado e altamente procurado – nem que crianças marginais se escondem na densa floresta que rodeia o lugar.

 

Título em português: MINHA TERRA, ÁFRICA

Título original: WHITE MATERIAL

2009, 100 min, cor / (Áudio em Francês) Drama

Diretor: Claire Denis

Roteiro: Claire Denis, Marie N'Dianye, Lucie Borleteau

Produção: Pascal Caucheteux / Direção de Fotografia: Yves Cape / Edição: Guy Lecorne / Trilha:  Stuart Staples

Distribuição: IMOVISION

 

Festival

Indicado ao Leão de Ouro no Festival de Veneza 2009

 

Elenco

Isabelle Huppert                       Maria Vial

Christopher Lambert                André Vial

Nicolas Duvauchelle                  Manuel Vial

Isaach de Bankolé                    Le Boxeur

William Nadylam                       Chérif

 

 

LANÇAMENTO: 05 DE NOVEMBRO DE 2010 (São Paulo e Rio de Janeiro)

 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Quilombos e Quilombolas - Debate Cedem/Unesp: 17/11/10

 

Quilombos e Quilombolas

Debate Cedem/Unesp

 

             Mato, Palhoça e Pilão. O quilombo, da escravidão às comunidades remanescentes (1532—2004), livro de Adelmir Fiabani, Editora Expressão Popular: 1ª edição, São Paulo – 2005 e reimpresso em 2009, , será o centro do debate no próximo dia 17 de novembro, quarta-feira às 18h30, promovido pelo CEDEM – Centro de Documentação e Memória da UNESP.

            “A luta pela liberdade” poderia ser o título desse livro. O capítulo sobre a História do Brasil colonial – mais de 3 séculos de regime escravista – interpretado de diversos modos por diferentes historiadores, expõe, de forma ímpar, a luta dos trabalhadores escravizados contra seus escravizadores.

            O livro reconstrói o fenômeno quilombola, desde a implantação do trabalho escravizado no Brasil, nos anos 1530, até a abolição formal do regime escravista em 1888. Apresenta o quilombo como forma singular de resistência do trabalhador escravizado à apreensão violenta e a exploração de sua força de trabalho. Adelmir apresenta a história das classes trabalhadoras hegemônicas no passado escravista, que constitui instrumento fundamental para a segura superação das crescentes contradições atuais entre o mundo do trabalho e o mundo do capital.

           

Expositor

 Adelmir Fiabani

Graduação em História – UNIJUÍ/RS, Mestrado em História – UPF/RS

Doutorado em História – UNISINOS/RS, Professor Adjunto de Ciência Política - UNIPAMPA/RS

 

Debatedores

 Marcos Del Roio

Graduação em História - USP, Mestrado em Ciência Política - UNICAMP, Doutorado em Ciência Política - USP

Pós-doutorado em Estudos Internacionais na Faculdade de Ciências Políticas da Universidade de Milão/Itália 
Augusto Zanetti

Graduação em História e Mestrado em História Social – USP

 Doutorado em História Social – UNICAMP, Professor da UNESP/Campus de Franca e da FMU

 

Mediadora

Célia Reis Camargo

Graduação, Mestrado em História – USP, Doutorado em História Social - UNESP

Professora do Departamento de História - UNESP/Assis e Coordenadora do CEDEM

 

 

Inscrições gratuitas c/ Sandra Santos pelo e-mail: ssantos@cedem.unesp.br

Data e horário:  17 de novembro de 2010 (quarta-feira) às 18h30

Local: CEDEM/UNESP - Centro de Documentação e Memória

Praça da Sé, 108 - 1º andar, esquina c/ Rua Benjamin Constant (metrô Sé)

(11) 3105 - 9903 - www.cedem.unesp.br

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CCBB Rio - programação 02/11 a 14/11

CINEMA

Indie.10 I Retrospectiva Kiyoshi Kurosawa
Cinema 1
09 a 21 de novembro

Pela primeira vez no Rio, 16 filmes do cineasta que
recriou a
linguagem do gênero fantástico, um dos principais diretores
do
cinema japonês contemporâneo. A retrospectiva reúne diversidade
de
estilos e gêneros que permeiam a obra de Kurosawa e
apresenta
títulos cults Cure, Pulse, Charisma até chegar a sua
última e
premiada ficção Sonata de Tóquio.

Mostra de Cinema Atual Espanhol
Cinema II
10 a 14 de novembro

Parceria do CCBB com o Consulado da Espanha, que já acontece

três anos, este ciclo oferece uma cuidadosa seleção do filmes
da
produção cinematográfica recente da Espanha. Destaque para
a
co-produção Espanha/Peru, A Teta Assustada, que concorreu ao
Oscar
de Melhor Filme Estrangeiro em 2009 e Forasteiros, baseado na
obra
homônima de Sergei
Belbel, um dos autores e diretores mais importantes do
teatro
contemporâneo catalão.

TEATRO

Shirley Valentine
Teatro I
De 12 de novembro a 19 de dezembro

O texto do dramaturgo inglês Willy Russel teve sua
primeira
montagem na Inglaterra em 1986 e, ao longo de décadas,
foi
traduzido para mais de 40 idiomas. Esse ícone das mulheres de
meia
idade oprimidas pela sociedade e pelo casamento da década de
1980 e
início da década de 1990, ganha vida com a atuação de Betty
Faria e
direção de Guilherme Leme.

INFANTIL

Menininha
Sala 26 - 4º andar
13 de novembro a 30 janeiro de 2011

Entre canções para infância de Vinicius de Moraes, Toquinho e
Chico
Buarque, uma menina e sua boneca vivem o ciclo de crescimento
da
"menininha" e sua "mãe" também menina. Com Laura Castro
e
participação
de Marta Nobrega.

(Embedded image moved to file: pic06022.jpg)


CINEMA

John Ford
12 de outubro a 7 de novembro

Considerado pela crítica especializada como o "Homero
Americano", o
vencedor de quatro prêmios Oscar é homenageado com essa mostra
que
exibe 36 filmes, entre títulos que demonstram como o
mestre
consolidou o western. Ford consagrou atores como John Wayne e
Henry
Fonda, além de investigar 200 anos de mitologia nacional
americana,
desde a Guerra da Independência de Ao Rufar Dos Tambores
até a
disputa política televisiva de O Último Hurrah.

EXPOSIÇÃO

Islã
até 26 de dezembro

Numa viagem ao passado, a exposição Islã apresenta 1400 anos
da
história da cultura do mundo islâmico. Por meio de
astrolábios,
tapeçaria, mosaicos, cerâmicas, pinturas e objetos
centenários
provenientes de acervos da Irã e Síria.

Miragens
até 26 de dezembro

Mostra que ocupa todo o segundo andar com 58 obras de
arte
contemporânea selecionadas de 17 artistas plásticos que têm
em
comum o universo cultural islâmico. As obras vêm de
coleções
européias e norte-americanas, como Saatchi Gallery, Saeb
Eigner
Collection, October Gallery e Rose Issa Gallery, em
Londres,
Gladstone Gallery, em Nova York, e acervos de Paris e Istambul.

Sala A Contemporânea – Matheus Rocha Pitta
até a 07 de novembro

Matheus Rocha Pitta toma o dinheiro – a mercadoria por
excelência –
como objeto de apreensão e cria novos trabalhos, resultados de
sua
pesquisa sobre a relação entre arte, valor e crime. O
artista,
desde 2007, coleta imagens de apreensões realizadas pela
polícia,
símbolos atuais do controle e da lei.


TEATRO

Ópera dos Vivos – até 07/11

O espetáculo da Cia. do Latão traça um amplo painel de
personagens
ligadas ao teatro, cinema, música e televisão, abordando a
produção
cultural dos anos 1960 até hoje, tendo como fio condutor
uma
reflexão sobre a mercantilização do trabalho artístico atual e
sua
ideologia. Quinta a domingo – 19h30

Antes da Coisa Toda Começar – Armazém Cia de Teatro -até 09/01

Inspirado na obra de John Cheever, um dos principais
contistas
americanos contemporâneos, o espetáculo é resultado de
exercícios,
improvisações dos atores e pesquisa. De quarta a domingo – 19h30


MÚSICA

Novas Gafieiras
até 17 de dezembro – sextas-feiras – 18 h

A série promove bailes no térreo, recordando o som de
grandes
orquestras, formato tradicional no Rio de Janeiro dos anos
1930. A
cada semana uma orquestra diferente, todas surgidas
recentemente,
numa clara demonstração do ressurgimento do samba de
gafieira, e
convidados especiais

De Ludovico Giustini a Philip Glass – Três Séculos de Piano
até
21/12

A série que apresenta em oito concertos a evolução e
o
desenvolvimento
da técnica pianística, desde as primeiras obras escritas
para
"fortepiano"
até as atuais vertentes da música no século XXI.

Rapsodia Hungara – 09/11

No Princípio era a Roda - até 14 de dezembro

Série musical que aborda a influência das rodas na história
do
samba que, segundo o autor, seriam a origem e núcleo motriz
do
samba, responsáveis por preservar e divulgar o gênero mais
popular
do país.

O compositor Nei Lopes e o grupo Galocantô – 02/11


IDÈIAS

Arte e Vanguarda na Internet – até 23/11

Daniel Galera e João Paulo Cuenca falam sobre literatura e
internet
no dia 09/11 às 18h30.

Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66
Centro – Rio de Janeiro - RJ
CEP 20010-000
www.bb.com.br/cultura
twitter.com/ccbb_rj

Aberto para o público de terça a domingo, das 09h às 22h

Assessoria de Imprensa CCBB Rio

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Exposição As construções de Brasília, em cartaz no SESI-SP, terá programação educativa especial para o público em novembro

 





Crianças nos arredores de escola local em superquadra

Brasília, DF, 1960 © Peter Scheier/ Acervo Instituto Moreira Salles


Com o objetivo de propor diversos olhares sobre a história da capital federal no ano em que ela completa 50 anos e de despertar a percepção de conceitos como urbanização, arquitetura e sociedade, o setor educativo do Instituto Moreira Salles e do SESI-SP organiza uma programação especial em novembro para crianças, jovens e adultos, com roteiros temáticos e dinâmicos sobre a exposição As construções de Brasília, em cartaz na Galeria de Arte do SESI-SP. A programação, realizada sempre aos finais de semana, terá início nos dias 6 e 7 de novembro. A entrada é livre para todas as idades, gratuita, com distribuição de senhas 30 minutos antes de cada horário. Confira algumas das atividades e os horários abaixo:


Atividades:


Planejando uma cidade:
A partir do tema exposto, propõe-se uma divertida dinâmica em que os visitantes organizam uma pequena cidade pensando em sua urbanização através de projetos.


Arte e sociedade:
A exposição apresenta obras de artistas que utilizam linguagens diferentes. A mostra é apresentada para o público por meio de uma divertida dinâmica pelo viés reflexivo entre arte e sociedade.


Horários:

Período da manhã:
das 10h30 às 12h00        
Período da tarde:
das 13h30 às 15h00/ das 15h00 às 16h30/ das 17h30 às 19h00


Número máximo de participantes para cada horário:
40 pessoas (entre crianças e responsáveis)


Sobre a exposição As construções de Brasília
:


Em cartaz na Galeria de Arte do SESI-SP até 16 de janeiro de 2011, a mostra conta com 140 fotografias do acervo do Instituto Moreira Salles, além de uma seleção de cerca de 60 obras de linguagens variadas, de artistas modernos e contemporâneos, que abordam a imagem da capital federal. A exposição, que tem entrada franca, é uma realização do Instituto Moreira Salles em parceria com o SESI-SP, e tem curadoria de Heloisa Espada, do IMS.


www.ims.com.br

www.asconstrucoesdebrasilia.blogspot.com




SERVIÇO:

Exposição As construções de Brasília

Local:
Galeria de Arte do SESI-SP – Av. Paulista, 1313 – metrô Trianon-Masp

Datas e horários:
até 16 de janeiro de 2011 – às segundas-feiras, das 11h às 20h; de terça-feira a sábado, das 10h às 20h; e aos domingos, das 10h às 19h.

Informações:
(11) 3146-7405 / 3146-7406 / www.sesisp.org.br/centrocultural

Entrada:
franca
Recomendação etária:
livre

Agendamento de grupos:
(11) 3146-7396 – de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h.




Acompanhe o Sesi-SP e Senai-SP nas mídias sociais:

http://www.sesisp.org.br/redessociais

http://www.sp.senai.br/redessociais




 

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Roda Viva - segunda-feira, 25 de outubro de 2010 às 22h00

Encaminhado por:
Nair Lúcia de Britto


Jaques Wagner
Governador reeleito da Bahia

Jaques Wagner nasceu no Rio de Janeiro em 16 de março de 1951. Cursava engenharia na Pontifícia Universidade Católica quando, em 1973, foi perseguido pelo regime militar e abandou o curso, refugiando-se em Salvador, na Bahia.

Ele iniciou sua trajetória profissional e política na Bahia, sendo um dos fundadores do PT e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no estado.

Eleito Deputado Federal pela primeira vez em 1990, Jaques Wagner foi eleito por três mandatos parlamentares consecutivos. Na Câmara Federal foi líder da bancada do PT em 1995 e vice-líder entre 1993 e 1998.

Jaques Wagner foi ministro do Trabalho e Emprego no primeiro mandato do presidente Lula e assumiu também a Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, em janeiro de 2004. Em julho de 2005, Jaques Wagner tornou-se Ministro das Relações Institucionais, encarregado da Coordenação Política do Governo.

Em 2006, elegeu-se Governador da Bahia e foi reeleito no primeiro turno em 2010 com 4,1 milhões de votos.

Participam como convidados entrevistadores:
Augusto Nunes, jornalista; Paulo Moreira Leite, jornalista; Mônica Bergamo, colunista do jornal Folha de S. Paulo e Luiz Fernando Rila, editor executivo e coordenador da cobertura eleitoral do jornal O Estado de S. Paulo.

Apresentação: Marília Gabriela


transmissão simultânea pela internet


O Roda Viva é apresentado às segundas a partir das 22h00.
Você pode assistir on-line acessando o site no horário do programa.
http://www2.tvcultura.com.br/rodaviva
 

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Eleição do cades IP


Estão abertas as inscrições para a Eleição do representante da sociedade civil no Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz da região do Ipiranga – CADES-IP.

Os munícipes maiores de 18 anos que desejarem ser candidatos com direito a voto na Eleição dos Conselheiros deverão inscrever-se, pessoalmente, no período de 18 de outubro a 5 de novembro de 2010, das 9h00 às 16h00, na sede da Subprefeitura, na Rua Lino Coutinho, 444, com Jacob ou Regina.

Os interessados devem apresentar documento de identidade com foto e CPF, comprovante de endereço ou de trabalho e apresentação de uma carta de intenções e propostas (original e cópia).

As eleições serão realizadas no dia 27 de novembro, das 9h00 às 16h00, na Subprefeitura Ipiranga.

Mais informações:
http://cadesipiranga.blogspot.com
ou acompanhar pelo Twitter:
http://twitter.com/cadesipiranga
ou enviar suas mensagens para:

34º Mostra de Cinema de São Paulo traz a exibição do filme “Metrópolis”, de Fritz Lang, na área externa do Auditório Ibirapuera

A exibição será acompanhada pela Orquestra Jazz Sinfônica
A versão original de Metrópolis, de Fritz Lang, está de volta, numa histórica sessão ao ar livre no Auditório Ibirapuera, a primeira em toda a América Latina. A exibição será acompanhada pela Orquestra Jazz Sinfônica e será regida por João Mauricio Galindo, executando a trilha original de Gottfried Huppertz.

Em 1927, esse clássico do cinema mudo recebeu sua première mundial; esta versão restaurada pela Fundação Murnau foi exibida no último Festival de Berlim, no portão de Brandemburgo. Agora, o público da Mostra terá a sua vez.

A mutilação desta obra monumental começou não muito depois de sua estreia no cinema berlinense UFA-Palast am Zoo, em 10 de janeiro de 1927. A produtora UFA retirou a cópia original após uma temporada mal-sucedida de quatro meses nesse cinema, lançando mais tarde, no verão daquele ano, uma versão reduzida em meia hora.

Por décadas, partes importantes do filme estavam julgadas irremediavelmente perdidas. Acreditava-se que um único negativo original e várias cópias da versão menor existiam. Após a sensacional descoberta de um negativo em 16 mm em Buenos Aires em 2008 e a restauração de uma versão 30 minutos mais longa do que sua antecessora, Metrópolis pode agora ser apresentado em uma forma que reflete quase que completamente o seu original.

A restauração e reconstrução do filme é resultado de um dos mais significativos projetos de restauração na história do cinema, conduzida pela Fundação Murnau em Wiesbaden, em cooperação com ZDF e Arte em associação com a Deutsche Kinemathek – Museum für Film und Fernsehen (Berlim) e o Museo del Cine Pablo C. Ducros Hicken (Buenos Aires).
Serviço
Data: dia 24 de outubro de 2010
Horário: domingo, a partir das 19 horas.
Local: Platéia externa do Auditório Ibirapuera
Gratuito. Classificação Indicativa: Livre
Auditório Ibirapuera:
Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 2 do Parque do Ibirapuera.
Informações: info@iai.org.br
Informações: 3629-1014 – Marina/ 3629-1075

Site: www.auditorioibirapuera.com.br


Acesso a deficientes.


Estacionamentos / Transporte:

Estacionamento Zona Azul – R$3,00 por duas horas. Dias úteis das 10h00 às 20h00, sábados, domingos e feriados das 8h00 às 18h00.
Ônibus: Estação da Luz - Linha 5154 - Terminal Sto Amaro / Metrô Brás - Linha 5630 - Jd. Eliana / Metrô Ana Rosa - Linha 675N - Terminal Sto. Amaro - Linha 677A - Vila Gilda - Linha 775C - Jd. Maria Sampaio / Metrô Vila Mariana - Linha 775 A – Jd. Adalgiza.

Ipiranga realiza 4ª Feira do Livro dia 06


Dia 06 de novembro acontece no Mercado Municipal do Ipiranga a terceira edição da Feira do Livro do Ipiranga. O objetivo da feira é incentivar e resgatar o hábito da leitura nas pessoas, principalmente crianças e jovens. E revelar novos talentos.

Além dos livros expostos, com a presença de 20 novos talentos, haverá uma área específica para apresentações artístico-culturais com o Coral Flamulla Chorus, do Colégio São Mauro, número de mágica, contação de história por João Batista Acaiabe (o Tio Barnabé do Sítio do Pica-pau-amarelo), canções infantis com o conjunto Traquitanas entre outras atrações que serão apresentadas pela Rádio Oficina escola de Mídia Eletrônica.
A quarta edição da Feira do Livro do Ipiranga faz parte do calendário de comemoração do aniversario do Ipiranga e tem a participação de 12 escritores moradores da região.
Serviço:
Dia: 06/11 - SÁBADO –09h00 às 17h00
Local: Mercado Municipal do Ipiranga
Endereço: Rua Silva Bueno, 2109 - Ipiranga - Cep: 04208-052
Entrada gratuita

sábado, 16 de outubro de 2010

Produtores e Artistas - Inscrições abertas para Festival Rnab

II Festival Rnab - Revelando Novos Atores Brasileiros
São Paulo


Data:  6 a 9 de dezembro
Categoria:   competitivo para curtas de até 1 minuto de duração para atores de todo o país (categorias: Adulto e Infantil). Mostra Livre para curtas-metragens de todos os gêneros com duração de até 20 minutos e finalizados a partir de 2008.
Inscrições:    23 de julho a 23 de outubro de 2010
Programação:    Mostra Competitiva, Mostra Livre
Responsável:     Sandra Camillo
Entidade promotora:     Produtora Agência Cinema Produções Cinematograficas
São Paulo / SP

festivalrnab@gmail.com
www.festivalrnab.com

Exposição no Museu da Casa Brasileira destaca os melhores projetos arquitetônicos do País

 

Durante a mostra, os visitantes poderão ver 64 projetos arquitetônicos brasileiros reconhecidos por propor uma arquitetura contemporânea, rica em soluções inovadoras, confortável a seus usuários e amigáveis ao meio ambiente

 

          No período de 26 de outubro a 21 de novembro, o Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, terá uma programação voltada ao público que aprecia a arquitetura brasileira, com a exposição que destaca o trabalho dos projetos arquitetônicos selecionados para disputar ao Prêmio O Melhor da Arquitetura, promovido pela revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO, da Editora Abril. A premiação tem como objetivo destacar a criatividade dos profissionais, os projetos inovadores, as soluções sustentáveis, os aspectos técnicos e estéticos, além de mostrar ao leitor as tendências em arquitetura e urbanismo que promovem a qualidade de vida nos espaços públicos, ambientes de trabalho, espaços comerciais e residenciais. 

            A exposição, que tem curadoria da redação da revista, apresenta por meio de painéis com fotografias, desenhos e textos, os 64 finalistas da terceira edição do prêmio. Os projetos arquitetônicos que serão apresentados na mostra foram construídos no Brasil entre janeiro de 2008 e maio de 2010. Eles foram inscritos pelos autores para concorrer em 11 categorias: Intervenção urbana; Retrofit; Edifícios institucionais nas áreas de educação, cultura, saúde e lazer; Edifícios comerciais ou de escritórios (limitados a até 4 pavimentos ou 500 m²;  e acima de 4 pavimentos ou 500 m²); Escritórios (instalações e interiores); Hotelaria (hotéis e resorts); Bares e Casas noturnas; Restaurantes; Lojas e showrooms; Condomínios residenciais unifamiliares horizontais ou verticais (limitados a até 5 pavimentos ou 3 000 m²; e acima de 5 pavimentos ou 3 000 m²); Residencial (cidade - até 200m2; de 200 a 500 m2; e acima de 500 m2 -, praia, campo). 

De acordo com Lívia Pedreira, diretora de redação da revista Arquitetura & Construção, o Prêmio O Melhor da Arquitetura 2010 mostra uma arquitetura vigorosa, competente e capaz de competir no cenário internacional. “Nesta terceira edição do prêmio, resolvemos realizar a exposição para reafirmar nosso compromisso em ampliar o espaço de discussão sobre a arquitetura, além de divulgar trabalhos relevantes que, certamente, contribuem para melhorar a qualidade de vida nas cidades”, completa Livia. 

 

Projetos finalistas:

Intervenção Urbana

Cantinho do Céu – Entre a Casa e a Água

Boldarini Arquitetura e Urbanismo

 

Este parque de 7 km de extensão e 15 mil m2 faz parte de uma série de obras de infraestrutura e urbanização de assentamentos localizados na margem de uma represa em São Paulo. O projeto associa a recreação e o lazer à preservação dos mananciais, evitando o assoreamento e promovendo a qualidade de vida da população.

 

Centro Histórico Vila Santa Thereza

Kiefer Arquitetos

 

O antigo local de abate de gado em Bagé, RS, estava desativado desde 1962. Formado pelas casas dos operários e por edifícios de serviços e lazer, o complexo de 2 mil m2 passou por restauro e ganhou novos equipamentos (como o teatro, do qual haviam sobrado apenas vestígios da alvenaria original), interligados por um calçadão.

 

Estações de Ônibus Urbanos

Modo Arquitetura

 

Com 8 km de comprimento e 13 estações implantadas a cada 500 m, este corredor em Uberlândia, MG, liga o centro ao setor sudeste da cidade. Portas automáticas sincronizadas com as portas dos ônibus permitem velocidade no embarque, desejável num sistema que transporta 60 mil passageiros por dia (capacidade que pode pode dobrar).

 

Retrofit

Escritórios Europa

Reinach Mendonça Arquitetos Associados

 

Somando quase 17 mil m2, as duas torres comerciais localizadas em São Paulo, cada uma com 14 pavimentos, sofreram uma completa reformulação que não afetou a estrutura original. As intervenções ocorreram nas fachadas, nas instalações e na criação de um segundo subsolo. Implantaram-se ainda rampas de acesso, inexistentes no projeto original.

 

Orizon Conectividade

Neves Felix Arquitetura

 

Um galpão industrial de 3,8 mil m2 em Barueri, SP, agora abriga a empresa especializada na integração de sistemas de saúde. A adaptação priorizou o baixo custo, com materiais reaproveitados de outras obras (como forros, carpetes e luminárias) e recursos para economizar água e energia. Na fachada, uma tela estampada evitou a troca de caixilhos.

 

Valeo VEC

GCP Arquitetos

 

O projeto de 18 mil m2 preparou a fábrica de sistemas automotivos em Itatiba, SP, para atender suas necessidades futuras de crescimento. Estrutura metálica, concreto e painéis isotérmicos compõem os novos edifícios, cujos ambientes empregam soluções de conforto térmico (como ventilação natural e espelhos-d’água) norteadas por análises climáticas. 

 

Edifícios Institucionais – Educação

Centro Digital do Ensino Fundamental

JAA Arquitetura e Consultoria

 

Apoiada sobre pilotis, a escola de informática e telecentro ocupa um dos lados de uma praça em São Caetano do Sul, SP, sem obstruir o acesso a ela. Assim, pretende retirá-la do isolamento provocado pelas avenidas. Com 3,5 mil m2, o prédio conta ainda com uma biblioteca convencional e outra eletrônica.

 

Centro Educativo Burle Marx

Arquitetos Associados

 

Mimetizado na paisagem, o extenso pavilhão horizontal de 1,7 mil m2 integra um complexo museológico em Brumadinho, MG. O leve rebaixo em relação ao entorno transforma sua cobertura numa ponte sobre o lago, além de conformar uma praça elevada amplamente ajardinada para o encontro e a contemplação.

 

Centro Municipal de Arte e Educação dos Pimentas

Biselli + Katchborian Arquitetos Associados

 

Erguido num bairro carente de Guarulhos, SP, este centro de 16 mil m2 reúne salas de aula, auditórios, biblioteca, refeitório e instalações esportivas sob uma grande cobertura metálica. Linear, o edifício concentra os espaços fechados em suas pontas, enquanto o vazio central dá origem à praça dedicada aos esportes.

 

Laboratório de Pesquisa Ecológica e Educação Científica da UEG

Alexandre Gonçalves

 

O laboratório universitário em Anápolis, GO, organiza-se em duas caixas brancas transversais que se abrem para o cerrado. Implantado perto da reserva ambiental da universidade, o edifício de 210 m2 toca o solo em apenas seis pontos. Na cobertura, o espelho-d’água melhora a temperatura interna e protege a laje impermeabilizada.

 

Edifício Institucionais – Cultura

Biblioteca São Paulo

Aflalo & Gasperini Arquitetos

 

Esta biblioteca de 4,3 mil m2 ocupa um edifício localizado em um parque na capital paulista. Além da nova fachada de elementos pré-moldados e vidros serigrafados, a construção ganhou pérgulas no terraço do primeiro pavimento para sombrear os ambientes de leitura. Colorido e lúdico, o espaço interno torna-se atraente para crianças e adultos.

 

Espaço Votorantim

Metro Arquitetos Associados

 

Contar a história de um grupo atuante nas áreas de mineração e metalurgia é o objetivo desta área expositiva de 550 m2, localizada num edifício histórico no centro de São Paulo. Deixada aparente, a estrutura interna de concreto dá suporte a expositores moldados com blocos e chapas maciças de alumínio, matéria-prima fundamental para os produtos da empresa.

 

Galeria Adriana Varejão

Rodrigo Cerviño Lopez

 

Parte de um complexo museológico em Brumadinho, MG, esta galeria está parcialmente engastada na encosta do lago. O bloco de concreto armado de 558 m2 alterna ambientes de passagem e exposição, a começar por uma passarela que atravessa um espelho-d’água e terminando na ponte que une a cobertura ao jardim no nível superior do terreno.

 

Edifícios Institucionais – Saúde

Ambulatório de Especialidades Médicas

Elvis José Vieira e Ricardo Hatiw Lú

 

O posto de saúde de 1 mil m2 em Suzano, SP, vale-se de seu terreno de esquina para estabelecer uma relação com a rua, como uma praça. Organizados em “U”, os consultórios abraçam o acesso principal. Concreto e vidro definem os blocos térreos, e brises de madeira marcam o pavimento superior. Elementos vazados completam a gama de materiais. 

 

Perinatal Barra

RAF Arquitetura

 

Um bulevar interno garante conforto e tranquilidade no acesso a esta maternidade carioca, que conta 91 leitos, centro cirúrgico e UTI em seus 14,5 mil m2. Os materiais especificados (vidros, brises, painéis e venezianas) atendem às necessidades de conforto térmico e acústico sem comprometer a qualidade do espaço.

 

Edifícios Institucionais – Lazer

Centro Cultural Colorado

Elvis José Vieira e Ricardo Hatiw Lú

 

Dedicado às artes plásticas e cênicas, com espaços destinados a aulas de dança, teatro e circo, este centro comunitário de 520 m2 busca, por meio dessas atividades, recriar o espaço urbano de uma região de Suzano, SP. Em grandes eventos, o palco de um dos blocos abre-se para o pátio do estacionamento, que acomoda o público.

 

Ginásio Sesc Barra

Indio da Costa AUDT + Forte, Gimenes & Marcondes Ferraz

 

Com a delgada cobertura metálica pairando sobre a quadra e as arquibancadas, este ginásio de 4 mil m2 no Rio de Janeiro lembra uma praça. A sustentação se dá por meio de arcos – únicos elementos da cúpula a tocar o chão, cravados em bases de concreto. Essa composição garante ventilação e iluminação naturais e integra o conjunto ao entorno.

 

Edifícios Comerciais ou de Escritórios

Até 4 Pavimentos ou 500 m2

Ateliê Paes Leme

Brasil Arquitetura

 

Ateliê de uma artista plástica em São Paulo, o pavilhão de 136 m2 tira partido de toda a largura do terreno (6,90 m). O pé-direito alto, além de possibilitar a entrada de grandes instalações de arte, permitiu a criação de um mezanino com suíte. Aberturas zenitais e caiação branca aumentam a luminosidade interna. Na cobertura, há uma laje jardim.

 

Edifício Oscar Porto

Arqdonini

 

Para causar pouca sobrecarga nas fundações, este prédio comercial de quatro andares e 834 m2 em São Paulo emprega um sistema construtivo misto: pilares de alvenaria estrutural, vigas metálicas e lajes de concreto pré-moldado. A composição da fachada imprime identidade visual ao edifício, sombreado pelos vizinhos mais altos.

  

Escritório de Paisagismo

Ângela Roldão Arquitetura

 

Grandes aberturas de vidro, paredes soltas, espelhos-d’água com plantas aquáticas e decks dão personalidade ao caixote de 185 m2 que abriga o escritório de uma dupla de paisagistas em Belo Horizonte. O objetivo foi limitar os custos e investir no jardim, cartão de visita dos profissionais.

 

Studio Kaze Paulista

Forte, Gimenes & Marcondes Ferraz

 

Por ocupar um terreno exíguo em São Paulo, o salão de cabeleireiros tem na fachada seu elemento mais importante. Formada por placas de vidro em diferentes planos, ela transforma o prédio em uma potente lanterna para a cidade à noite. Nos 335 m2 distribuídos em quatro pavimentos, imperam a luz e a ventilação naturais.

 

Edifícios Comerciais ou e Escritórios

Acima de 4 Pavimentos ou 500 m2

Carglass – Sede Administrativa

AUM Arquitetos

 

Na sede do fabricante de vidros automotivos em Santana de Parnaíba, SP, a fachada principal volta-se para a face noroeste, sujeita a forte insolação. Daí o desenho escalonado e inclinado, recurso que promove o autossombreamento. A iluminação natural vem dos janelões no lado oposto do prédio, que soma 4,3 mil m2, e dos rasgos na cobertura. 

 

Centro de Criatividade da IFF 

Roberto Loeb e Associados

 

A empresa de aromas e fragrâncias em Santana de Paranaíba, SP, organiza-se em três volumes – duas torres laterais de laboratórios e uma central para as atividades administrativas, com área total de 8 mil m2. Nele também concentra-se a circulação principal: três escadas em espiral inseridas em um átrio de 18 metros de altura. O interior está protegido do sol por brises de chapa perfurada.

 

Fundação Habitacional do Exército

MGS + Associados

 

Dois blocos desnivelados entre si, conectados por uma rampa e separados por um átrio central, compõem o edifício de 27 mil m2 em Brasília. O projeto, que busca manifestar os princípios da robustez e da transparência, alia a tradição do concreto armado à rapidez de montagem dos componentes de cobertura, vedação, forro e piso.

 

Módulo Alto de Pinheiros

Rocco Arquitetos Associados

 

No meio de um arborizado bairro paulistano, o complexo de quatro blocos baixos, cada um com quatro andares, inaugura um novo conceito para conjuntos de escritórios. Amplitude, aberturas generosas e ambientes que se integram à área externa, características normalmente associadas a casas, foram adotadas no projeto de 2,5 mil m2.

 

Escritórios – Instalações e Interiores

Boehringer Ingelheim do Brasil

Moema Wertheimer Arquitetura

 

A sede brasileira do laboratório alemão, em São Paulo, tem 2 mil m2. A distribuição prioriza ambientes abertos, com locais para reuniões informais e uma área colaborativa (com café, livraria e family care). Sensores de iluminação e de presença, além de um sistema de controle individual de ar-condicionado, reduzem o consumo de energia.

 

Centro de Criatividade da IFF

Patricia Martinez Arquitetura

 

A solução para a área de 3,5 mil m2 da empresa de aromas em Santana de Parnaíba, SP, busca uma linguagem internacional coerente com as demais unidades da multinacional. Na recepção, leds iluminam o painel de frascos azuis. No bloco central, clientes são recebidos para degustações em uma sala de reuniões com cozinha, living e biblioteca.

 

Guedes Nunes Oliveira Roquim Advogados Associados

Piratininga Arquitetos Associados

 

O escritório de advocacia ocupa o último andar e a cobertura de um edifício assinado por Paulo Mendes da Rocha. Em 600 m2, ambientes privativos alternam-se com espaços abertos, respeitando as características arquitetônicas originais, como a laje nervurada e as calhas metálicas para instalações. Estruturas auxiliares de aço dão suporte a painéis de drywall e portas de correr.

 

PepsiCo do Brasil

Andrade Azevedo Arquitetura Corporativa

 

Destinado a um grupo de executivos sênior de uma multinacional de alimentos na capital paulista, o espaço de 760 m2 é dividido por um grande painel de madeira certificada. Ripado e em forma de onda, ele delimita sutilmente a área da recepção dos ambientes reservados, sem bloquear a passagem de luz.

 

Hotelaria

Bangalôs Vila Esmeralda – Resort Ponta dos Ganchos

Elianne Klenner Arquitetos Associados

 

Os cinco novos bangalôs do resort no litoral catarinense desfrutam da melhor vista do terreno. Dotado de sauna, hidromassagem e deck privativo com piscina aquecida, cada um tem uma cobertura verde – opção que ajuda a inserir as unidades de 230 m2 na paisagem e proporciona conforto térmico a elas.

 

Kenoa Exclusive Beach Resort

Oster & Tenório Studio

 

Sustentabilidade e linhas modernas definem a linguagem deste resort de 221 mil m2 em Barra de São Miguel, AL. Entre os materiais utilizados, estão madeira de reflorestamento ou de demolição e monomassa (argamassa que funciona como enchimento e revestimento de paredes), uma referência à taipa. Placas solares aquecem a água das piscinas, tratadas por salinização (sem química).

 

Makenna Resort

Drucker Arquitetos Associados

 

Localizado numa reserva ambiental entre as cidades de Ilhéus e Itacaré, BA, o resort de 5,7 mil m2 mantém intacto o restante da gleba de 500 mil m2. Suspensas, as construções de concreto aparente não interferem na vegetação e na morfologia do solo. O hotel conta com painéis fotovoltaicos para geração de energia e tratamento de efluente. 

 

Bares e Casas Noturnas

Club Noir

Estúdio América de Arquitetura

 

Um galpão de 270 m2 na área central da capital paulista acolhe a sede de um grupo de teatro. De configuração incomum (longitudinal e profunda) e sem adornos ou imagens, o palco busca a intimidade dos atores com a plateia. O foyer, que conta com café e livraria, é marcado por materiais simples e iluminação pontual.

 

Clube Hot Hot

Guto Requena Arquitetura e Design

 

Num prédio decadente no centro de São Paulo esconde-se esta casa noturna de 600 m2, inspirada, por um lado, no brutalismo arquitetônico típico da cena underground berlinense e, por outro, no trabalho do designer escandinavo Verner Panton (1926-1998). Grandes placas de led, cujo desenho desdobra-se por todo o teto, caracterizam a iluminação.

 

Garrafaria Lounge

Skylab Arquitetos

 

No segundo andar de uma loja de vinhos em Juiz de Fora, MG, este espaço de 128 m2 oferece aos clientes a possibilidade de degustar as bebidas ao lado de pratos da culinária internacional. As cores escuras, a iluminação e o pé-direito rebaixado em alguns pontos reforçam o clima intimista.

 

Restaurantes

Insalata

Sá & Cioni Arquitetura e Interiores

 

O projeto unificou o imóvel existente com o terreno vizinho, totalizando 383 m2. O salão principal, estruturado por pilares metálicos, tem pé-direito duplo e uma parede de tijolo de demolição que, emoldurada por painéis de vidro, parece solta. Duas oliveiras transplantadas durante a obra ganharam destaque na nova proposta.

 

Ping Pong

Vanessa Féres Arquitetos Associados + Mach Architects

 

Com 550 m2, o restaurante de cozinha oriental em São Paulo tem na China sua principal referência – todas as paredes do térreo e do mezanino exibem painéis de madeira. O Japão também se faz presente com reproduções fotográficas que evocam a cerimônia do chá, enquanto o painel acrílico atrás do bar lembra as divisórias de papel usadas naquele país.

 

Ráscal

Mauro Munhoz Arquitetura

 

Pertencente a uma grande rede paulista, este restaurante de rua de 1200 m2 busca uma relação direta com a calçada: seja por meio da transparência dos painéis de vidro, do piso de pedra que se estende para o exterior ou da iluminação natural. A cobertura curva abraça as árvores originais do lote e cria espaço para o grande painel de elementos vazados.

 

Lojas e Showrooms

Alexandre Herchcovitch Fashion Mall

Tacoa

 

Esta loja de shopping no Rio de Janeiro aposta na flexibilidade para fazer render o espaço de apenas 58 m2. Araras, prateleiras, ferragens e luminárias podem ser inseridas em furações no piso, nas paredes e no forro, dispostas em módulos de 40 x 40 cm. Assim, o layout muda, assim como acontece a cada coleção do estilista. 

 

Coven

Play Arquitetura e Design

 

Localizado em Belo Horizonte, o sobrado de feições residenciais teve a maioria de suas janelas tampadas. O cubo resultante, pintado de azul, veste uma malha metálica, recurso condizente com o universo da marca, focada em malhas e tricôs femininos. Na lateral, ao fundo, a pérgula dá suporte a uma instalação de arte.

 

Farm Fashion Mall

Bel Lobo & Bob Neri Arquitetos

 

O painel curvo de MDF branco que organiza o espaço de 300 m2 da marca carioca de roupas faz referência à obra do escultor americano Richard Serra. Já seu visual remete à palha, elemento ligado ao verão, ao frescor e ao relaxamento. Vazado, ele permite a entrada de luz natural e desenha uma bonita sombra no piso.

 

KitchenAid

Maurício Queiroz

 

Especializado em cozinhas, o showroom paulista aproveita uma construção antiga de 360 m2 com dois pavimentos, agora integrados por meio de um vão central aberto na laje. O desenho dos brises de madeira da fachada vem das grelhas diagonais, comuns em eletrodomésticos dos anos 50 – década relembrada também na escolha do piso de fulgê.

 

Condomínios Residenciais

Até 5 pavimentos ou 3 mil m2

Vila Taguaí

Cristina Xavier Arquitetura

 

O empreendimento em Carapicuíba, SP, propõe uma forma viável de ocupar áreas verdes na periferia das grandes cidades. Suspensas, as oito casas (de 210 a 260 m2) empregam um sistema construtivo que utiliza, de modo racional, madeiras nativas de manejo sustentável. Pavimentos de pedra garantem a permeabilidade do solo, e a água pluvial é captada e direcionada ao córrego, seguindo seu curso natural.

 

Villa Itaim

Studio Arthur Casas

 

Inspirado nas townhouses nova-iorquinas, o condomínio tem dez unidades verticalizadas para melhor aproveitar a área disponível para cada uma, de 240 m2. A área social concentra-se o térreo. Duas suítes ocupam o primeiro piso e uma terceira, a principal, localiza-se no segundo pavimento, ao lado de um solário com piscina.

 

Water View

José Ricardo Basiches Arquitetos Associados

 

As sete unidades – cada uma com 512 m2 – deste condomínio no litoral norte de São Paulo desfrutam da vista para o mar graças à sua implantação não linear, seguindo o perfil do terreno. Para garantir o melhor enquadramento da paisagem à área social, esta foi alocada no primeiro piso, uma configuração incomum em casas de praia. 

 

Condomínios Residenciais

Acima de 5 pavimentos ou 3 mil m2

Edifício Aimberê

Andrade Morettin Arquitetos Associados

 

Doze unidades diferentes compõem este prédio de nove andares, projetado para um terreno de apenas 775 m2 em São Paulo. Há apartamentos do tipo duplex, outros com solário na cobertura e alguns, situados no térreo, abrem-se para uma área externa. Na entrada, uma praça de acesso com jardim estabelece uma relação entre o edifício e a calçada.  

 

Edifício Parc Zodíaco

Gustavo Penna Arquiteto & Associados

 

As curvas suavizam a altura deste edifício de 23 andares em Belo Horizonte, cujo terreno de 6,8 mil m2 preserva 38,7% de área permeável (a taxa exigida pela lei de uso e ocupação do solo é de 20%). Os recuos também são maiores que os estabelecidos. Cada unidade possui seis vagas para carros, sendo uma dentro do apartamento.

 

Edifício Two Towers Residence

Domingos Brito Arquitetura

 

O empreendimento de 15 pavimentos em São Luís, erguido num terreno de 5,9 mil m2, adota o princípio de “uma casa por andar”. Cada apartamento se distribui entre as duas torres – em uma delas ficam a área social e os quartos, enquanto a outra abriga a área de lazer privativa, que inclui uma raia de 25 metros.

 

Residencial – Praia

Casa em Ubatuba  

SPBR Arquitetos

 

Fincada num morro cuja mata está protegida pela lei ambiental, esta casa de 346 m2 no litoral norte de São Paulo teve que vencer uma inclinação de 50%. O projeto dá conta do desafio: apenas três pilares e quatro vigas sustentam as lajes de concreto, dispostas de maneira que se avista o mar de todos os ambientes. Resultado: a construção preserva a paisagem e parece flutuar sobre as árvores. 

 

Casa na Bahia

M3 Arquitetura

 

Madeiras de um antigo paiol mineiro constituem este refúgio de 280 m2 próximo a Ilhéus, BA, montado como um quebra-cabeça. A empreitada capacitou mão de obra local. De planta simples, com ambientes dispostos em linha, o pavilhão volta-se para o mar e é rodeado por um deck, também feito de madeira reaproveitada.

 

Residência JZ

Bernardes + Jacobsen Arquitetura

 

Com embasamento de concreto e o restante da estrutura de madeira, esta casa de 800 m2 em Camaçari, BA, divide-se em dois blocos que acompanham o ligeiro desnível do terreno. Na ala dos quartos, apoiada sobre pilotis, o fechamento lateral com treliça favorece a ventilação. Os arquitetos priorizaram materiais da região, como o forro de tela de dendê. 

 

Residência Laranjeiras

Gui Mattos Arquitetura

 

Em um lote triangular, no canto de uma praia de Paraty, RJ, este projeto de 730 m2 se abre para a natureza. A vista para o encontro entre o rio, o mar e a reserva florestal pautou a distribuição dos ambientes, organizados em torno de um pátio central. Apenas a cozinha e a área de serviço ficam reservadas, atrás de uma parede de pedra.

 

Residencial – Campo

Casa Box-Izo

Ricardo Serzedello Arquitetura

 

O anexo de 65 m2 com sala, cozinha e banheiro equilibra-se sobre uma pedra à beira de um barranco de 10 metros de altura. A face voltada para a paisagem serrana de Petrópolis, RJ, emprega painéis de vidro insulado (que ajudam no controle térmico). De resto, a estrutura de concreto mantém-se aparente, exibindo a textura irregular das formas de madeira.

 

Casa em Campos do Jordão

Rosenbaum Design

 

Encrustada no terreno em declive no meio da mata em Campos do Jordão, SP, esta casa de 560 m2 encaixa-se entre dois muros laterais de pedra vulcânica. A entrada se dá pelo segundo pavimento, no nível da rua. Uma escada caracol une os três pisos – através de uma clarabóia sobre sua caixa, desce a luz natural que clareia os ambientes internos.

 

Casa em São Roque

Tacoa

 

Térrea, esta casa de 384 m2 em São Roque, SP, descansa sobre um platô artificial – solução encontrada para que a construção tirasse maior proveito da paisagem. A área interna confunde-se com a externa também em outros aspectos, como o posicionamento incomum da piscina dentro da sala, sob um vão na cobertura.  

 

Residencial – Cidade

Até 200 m2

Casa Cubo

Ar.q

 

Situada numa vila em São Paulo, a casa de 92 m2 conquista sua privacidade em relação aos vizinhos por meio da geometria. Um bloco cego de 3 x 3 x 3 m ocupa o recuo frontal e conforma um pátio integrado à área social, no térreo. Há também um jardim nos fundos, além de um escritório no meio nível 1,40 m abaixo da rua.

 

Casa Juranda

Apiacás Arquitetos

 

Distribuído em meios níveis para respeitar o declive acentuado do terreno de só seis metros de largura, o projeto de 130 m2 prioriza os espaços de convívio no térreo. Sem recuos laterais, situação comum na capital paulista, vale-se de grandes aberturas na frente e nos fundos para iluminação e ventilação naturais. 

 

Residência Brooklin Novo

Zanettini Arquitetura Planejamento Consultoria

 

A frente estreita, ajardinada, conduz à entrada do sobrado paulista de 170 m2, implantando na parte anterior do lote, mais larga. No térreo, os ambientes da área social são integrados, e o pé-direito duplo aumenta ainda mais a sensação de amplitude. Um mezanino de estrutura metálica abriga duas suítes.

 

Residencial – Cidade

De 200 a 500 m2

Casa no Morro do Querosene

gruposp

 

Erguida com alvenaria estrutural (mantida aparente), esta casa paulista de 350 m2 intercala mezaninos metálicos em seu espaço central, marcado em uma das laterais por uma grande estante para 7500 livros. Os quartos ocupam um bloco do lado oposto. Na cobertura, um espelho-d’água cuida do conforto térmico.     

 

Casa Osler

Studio MK27

 

Releitura dos materiais e das técnicas construtivas da arquitetura moderna, esta casa de 270 m2 em Brasília organiza-se em dois blocos perpendiculares. No térreo, uma caixa de concreto e madeira, estão os quartos e a garagem. Ela ajuda a apoiar o volume superior (que, de resto, equilibra-se em pilotis), onde ficam a sala e a cozinha.

 

Casa Tangram

DOMO Arquitetos

 

Um quebra-cabeça de origem chinesa inspirou a composição incomum desta moradia de 320 m2 na capital federal. A fachada discreta revela pouco do restante da construção, que possui um terraço no segundo pavimento, voltado para os fundos do terreno. Em uma das laterais, vários tipos de cobogós compõem as paredes.  

 

Residencial – Cidade

Acima de 500 m2

Casa Domingos

Gil Carlos de Camillo Arquitetura

 

O desejo do morador de ter acesso simultâneo à piscina e ao home theater pautou o projeto de 503 m2 em Campo Grande. Um terraço semi-interno insere a piscina no interior, além de organizar os ambientes ao seu redor. Voltada para o sul, esta face recebeu fechamentos de vidro, ao contrário da fachada principal, protegida da forte insolação por uma empena em balanço.

 

Residência Estância Amendoeiras

Gustavo Penna Arquiteto & Associados

 

Como uma grande varanda, a casa de 850 m2 adapta-se ao clima quente de Lagoa Santa, MG. Ao abraçar a área de lazer, a distribuição em L facilita essa intenção. O grande cubo metálico esconde equipamentos como caixa d’água, aspirador central e casa de máquinas.

 

Residência RAA

Tao Arquitetura 

 

Apesar de sua área generosa (1365 m2), esta casa brasiliense transmite leveza. O pavimento superior, branco, contrasta com o térreo de concreto aparente, num jogo que realça as formas da construção. Internamente, buscou-se integrar os ambientes à área de lazer.

 

Serviço:

Exposição: O Melhor da Arquitetura 2010

Visitação: 26 de outubro a 21 de novembro. De terça a domingo das 10h às 18h

Local: Museu da Casa Brasileira

Endereço: Av. Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano Tel. 3032-3727

Ingresso: R$ 4,00 - Estudantes: R$ 2,00 – Gratuito domingos e feriados

Acesso a portadores de deficiência física.

Visitas orientadas: 3032-2564  agendamento@mcb.org.br

Site: www.mcb.org.br

twitter.com/mcb_org

Estacionamento: de terça a sábado até 30 min. grátis, até 2 horas R$ 8,00, demais horas R$ 2,00. Domingo: preço único de R$ 12,00.