sexta-feira, 30 de outubro de 2009

NO RODA VIVA, O LÍDER DO PT NA CÂMARA

 
Dep. Cândido Vaccarezza PT/SP
Lيder do PT na Câmara

Falta pouco menos de um ano para o primeiro turno da eleiçمo de 2010 e os partidos jل entraram na corrida eleitoral, mesmo longe do prazo legal para o inيcio da campanha e da realizaçمo de convençُes para a escolha das candidaturas.

O prazo para filiaçُes e trocas de legendas terminou no começo de outubro. Agora, os partidos buscam acordos, apoios e nomes para compor as futuras chapas.

O Roda Viva discute o que acontece nos bastidores da polيtica com o Deputado Federal Cândido Vaccarezza, lيder do PT na Câmara e articulador da bancada na casa. ة dele a responsabilidade pelo diلlogo com as demais bancadas e com os diferentes َrgمos do executivo, além da defesa do governo do presidente Lula.

Cândido Vaccarezza elegeu-se deputado estadual por dois mandatos consecutivos, de 1998 a 2006 e, desde 2007, exerce o seu primeiro mandato na Câmara Federal.

Participam como convidados entrevistadores:
José Mلrcio Mendonça, jornalista e editor do Blog A Polيtica como ela ة, articulista do jornal Diلrio do Comércio de S. Paulo e editor da coluna "Polيtica e Economia na Real", do site Migalhas; Julia Duailibi, repَrter de polيtica do jornal O Estado de S.Paulo; Otلvio Cabral, repَrter da sucursal de Brasيlia da revista Veja; José Paulo Kupfer, chefe de redaçمo do departamento de jornallismo da Rede Gazeta de Televisمo e autor de um blog de economia do Portal IG.
Twitters no estْdio: André Mascarenhas, editor de nacional do Portal do Estado de Sمo Paulo, (twitter.com/nacional_estado); Danniella Sousa Nascimento, bacharel em Turismo e Hotelaria (twitter.com/danniella) e Rodrigo Borges Delfim, jornalista (twitter.com/rodrigobdelfim).
Fotَgrafa convidada: Higor Augusto da Silva Franco, designer (www.flickr.com/higorfranco).

Apresentaçمo: Herَdoto Barbeiro


Transmissمo ao vivo pela Internet a partir das 17:30.


O Roda Viva é apresentado às segundas a partir das 22h10.
Você pode assistir on-line acessando o site no horلrio do programa.
http://www2.tvcultura.com.br/rodaviva
 


Novo Internet Explorer 8: traduza com apenas um clique. Baixe agora, é grátis!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Crendices...Quem disse?



A Cia. De Danças de Diadema é pioneira em adotar a arte-educação como ferramenta de inclusão social

O espetáculo de dança “Crendices...Quem disse?”, dirigido por Ana Bottosso, aborda as crendices populares que habitam o dia–a–dia do povo brasileiro e têm como base temática a pesquisa gestual e de movimentação que envolvem elementos das danças populares brasileiras, transformadas por meio da visão contemporânea.
Desde sua idéia de concepção inicial, em junho de 2006, a pesquisa desenvolveu-se alimentada pela arte literária de Ariano Suassuna, um intrigante romancista, dramaturgo, poeta e filósofo brasileiro. Extraídas de alguns trechos do seu romance “A Pedra do Reino” foram destacadas passagens em que a crença em fenômenos do cotidiano, é elemento determinante do destino de um povo.
Crenças populares, advindas do passado de cada um de nós e dos textos do autor, foram fontes de inspiração para este trabalho coreográfico, unindo “causos”, tragédias, alegrias e curiosidades. Assim, em um contexto final, aborda-se a diversidade cultural do brasileiro manifestada por meio de suas crendices.

Sobre a Companhia de Danças de Diadema



Em 1994, um grupo de bailarinos, a convite da Prefeitura do Município de Diadema, selecionou bailarinos que pudessem compor uma companhia de danças e, ao mesmo tempo, atuar como professores e educadores nos centros culturais da cidade. E foi assim, que em 1995, nasceu a Companhia de Danças de Diadema e o Programa de Difusão e Formação em Dança.

Idealizado por Ivonice Satie, essa companhia tem como objetivo formar bailarinos profissionais, permitir o contato com a arte, privilegiar o conhecimento e o movimento do corpo como forma de expressão e, acima de tudo, inclusão cultural.

Pioneira no país na arte-educação, a Companhia de Danças de Diadema já permitiu, em suas oficinas, o acesso à dança a mais de dez mil pessoas, entre adultos, jovens e crianças.

Além dos espetáculos e apresentações, o trabalho social é uma missão e uma satisfação pessoal para cada integrante. Com seu programa social, atende uma média de 850 pessoas por ano nas oficinas, entre crianças, adolescentes, adultos, Melhor Idade e portadores de necessidades especiais, realizando um trabalho de oficinas permanentes nos 10 centros culturais da cidade.

A Companhia de Danças de Diadema também desenvolve trabalhos com portadores de deficiências físicas e de inclusão das minorias, como o Projeto Mão na Roda, coordenado por Luis Ferron.


Ficha Técnica
Direção: Ana Bottosso
Concepção coreográfica: Ana Bottosso e elenco
Roteiro: Ana Bottosso e Ton Carbones
Maître: Valéria Mattos
Assistente de Coreografia: Eloy Rodrigues
Ensaiadora: Manuela Fadul
Professores de Dança Contemporânea: Ana Bottosso, Eloy Rodrigues, Francisco Junior, Ton Carbones
Condicionamento Físico: Carolini Piovani
Técnica de Pilates: Wilson Helvecio
Danças Brasileiras e Cultura Popular: Enoque Santos
Direção e produção musical - Luciano Sallun
Interprete ao vivo: Pedra Branca
Músicos:
  • Luciano Sallun - sitar, theremin, jawharp, flautas de pvc, caxixi,
    efeitos, beats eletrônicos
  • Aquiles Ghirelli - didgeridoo, pandeiro, vozes, tambor onça, efeitos
  • Daniel Puerto Rico - djembe, derbak, congas, pandeiro, tambor do divino, pandeirão, efeitos.
Web designer: Marcio Edison (MExCorp)
Produção: Ton Carbones
Assistente de produção: Renato Alves
Assessoria de Comunicação: Renata Boniol
Elenco: Carolini Piovani, Eloy Rodrigues, Francisco Junior, José Manuel, Ivan Bernardelli, Juliana Lim, Léo Oliveira, Manuela Fadul, Thaís Lima, Ton Carbones.


Espetáculo de dança: CRENDICES...QUEM DISSE?
Local: Caixa Cultural São Paulo (Sé) - Praça da Sé, 111 – Grande Salão
Datas: 05 a 08 de novembro de 2009
Horários: Quinta e sexta-feira, às 19:30h
       Sábado e domingo, às 18:30h
Entrada: franca 
Recomendação etária: maiores de 16 anos
Duração: 60 minutos
Informações - Tel: (11) 3321-4400
Realização: Companhia de Danças de Diadema
Patrocínio:
Caixa Econômica Federal


MOSTRA SP - "SOLO" de UGO GIORGETTI

 

 

SOLO, LONGA DE UGO GIORGETTI, SERÁ EXIBIDO NA MOSTRA INTERNACIONAL EM SÃO PAULO

 

Solo é um monólogo estrelado por Antonio Abujamra; Ugo Giorgetti apresenta outro trabalho na Mostra: Paredes Nuas

 

 

Um homem fala de um mundo que não mais lhe pertence e que não mais entende. É alguém que caminha da solidão para as trevas. Embora com humor, sarcasmo e permanente ironia este filme fala de perplexidade e desespero. Fragmentado, por vezes dispersivo, esse testemunho de um homem na última meia idade, de boa família, de um bairro nobre, não deixa de ser uma reflexão que diz respeito a todos que moram nesta cidade de S.Paulo e que freqüentemente é vista  como um pesadelo.

É um filme no estilo de uma confissão, um jato de palavras impossível de interromper, de alguém que entrega para a câmera e para os espectadores os medos e as angústias mais profundas.

O filme, tecnicamente, é simples. Um homem sentado falando para a câmera. Por trás dele, como fundo, imagens vão ilustrando seu pensamento confirmando-o ou contrariando-o.

As imagens nesse fundo terão muitas vezes o aspecto delirante que tem os pensamentos que não acompanham necessariamente as palavras que falamos.

Solo é um longa metragem de 72 minutos com um único ator, Antonio Abujamra. O filme foi realizado com o apoio da TV Cultura e será exibido na emissora em data a ser definida.

 

Ficha Técnica:

 

Escrito e dirigido por Ugo Giorgetti


ELENCO: Antonio Abujamra

Produção Executiva: Malu Oliveira

Direção de Fotografia: Carlos Ebert, abc

Musica: Mauro Giorgetti

Montagem: Marc De Rossi

Equipe TV CULTURA:

Produção: Carollina Gonçalves

Figurino: Lívia Belloto e Bárbara Milano

 

 

 

 

6ª. Bienal SESC de Dança - Santos, capital brasileira da dança contemporânea entre 1º e 8 de novembro

 
 

Santos é a capital da dança contemporânea no país entre 1º. e 8 de novembro com 104 apresentações de 38 companhias brasileiras e internacionais

 

Espetáculos, performances, e instalações de Grupo Corpo, Ballet de Lorraine (França), Alain Buffard (França), Gilles Jobin (Suíça), Cena 11, Morena Nascimento e Núcleo de Criação do Dirceu, entre outros

 

Evento reunirá cerca de 400 artistas, produtores e técnicos de dança nas dependências do SESC Santos e em diversos espaços públicos pela cidade

 

A sexta edição da Bienal SESC de Dança reunirá 38 companhias de dança de dez estados brasileiros e de dois países: França e Suíça entre 1º. e 8 de novembro, para a apresentação do número recorde de 104 espetáculos, performances, instalações coreográficas e simpósio utilizando como palcos as dependências do SESC Santos (R. Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, tel.: 13.3278.9800 – www.sescsp.org.br) e diversos espaços públicos e históricos da cidade santista. O evento faz parte do França BR 2009 - Ano da França no Brasil.

 

Apenas em seis espetáculos realizados no Teatro do SESC Santos serão cobrados ingressos a preços populares. Todos os demais eventos da Bienal, pela cidade ou nas dependências do SESC, serão gratuitos.

 

Através da Bienal SESC 2009, cujo tema é Conexões, Santos receberá grandes nomes da dança contemporânea, como o Grupo Corpo, de Belo Horizonte, que se apresenta na cidade pela segunda vez desde que foi criado, em 1975; o Ballet de Lorraine, da França, que fará coreografias de nomes como Martha Graham, Maguy Marin, Isadora Duncan e William Forsythe; a brasileira Morena Nascimento, que iniciou carreira no 1º. Ato de Minas Gerais, hoje integra a célebre companhia de Pina Bausch, e que estreará a coreografia Quase Ela (Três momentos de saudade), em que trata de sua vida na Alemanha e a relação com a genial artista falecida este ano. Além desses, se destacam criadores do porte do francês Alain Buffard, do suíço Gilles Jobin e das companhias brasileiras Cena 11, de Santa Catarina; Núcleo de Criação do Dirceu, do Piauí; e de outros 30 grupos convidados ou selecionados, representando São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiânia, Bahia, Paraná, Piauí, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

 

Ao todo serão cerca de 10 horas diárias de atividades relacionadas com a dança com a presença de mais de 400 artistas, produtores, técnicos e especialistas no assunto. Além dos espetáculos, o projeto contempla uma aprofundada discussão sobre a função da dança na sociedade através de debates, palestras e oficinas.

 

"Não poderia ser mais adequado o tema "Conexões" para a 6ª. Bienal SESC de Dança que acontece no próximo mês em Santos. Uma das programações que encerram o Ano da França no Brasil, a Bienal envolve diversos profissionais da dança com debates, espetáculos e oficinas em nove dias de apresentações em que a dança contemporânea está em evidência para ser contemplada, discutida e revelada", afirma o diretor regional do SESC São Paulo e presidente do Comissariado Brasileiro para o Ano da França no Brasil, Danilo Santos de Miranda. "São companhias como Grupo Corpo e Cena 11 que dialogarão com as coreografias do Ballet de Lorraine e de Alain Buffard que vêm da França, William Forsythe dos EUA e Gilles Jobin, da Suíça. A Bienal SESC de Dança já se tornou uma referência e nesta 6ª. Edição pretende continuar a estimular a criação nas artes do movimento", finaliza Miranda.

 

A Bienal SESC de Dança 2009 pretende abrir espaço às diversas formas de criação e investigação da dança, seus conteúdos culturais, significativos na valorização da formação e na socialização desse processo. A proposta é dar visibilidade aos diversos tipos de conexões e fluxos de espaço: virtuais, pessoais, midiáticos, híbridos de linguagens das artes visuais e dança, entre outros, presentes no cotidiano de vida urbano, da obra artística, do espaço cinético que reverbera na obra. Esses fluxos de interferência causam um efeito na comunidade e na cidade que interfere em vários outros espaços, gerando uma terceira situação que dá a noção de conectividade.

 

O público, principal parceiro da obra em movimento, torna-se participante da criação, na medida em que suas emoções e sentimentos no envolvimento com a criação podem fazer emergir uma interferência, evidenciando a relação entre espectador, artista e obra. Patrimônio histórico e manifestação artística conjugam-se em conexões culturais que subsidiam a criação contemporânea, fazendo desse imenso corpo-cidade um espaço de investigação permanente nesse sistema.

 

A realização da Bienal SESC de Dança de 2009 aproximará criadores, intérpretes e fomentadores de dança. Artistas estrangeiros e brasileiros, grupos consolidados e novos criadores com apresentações inéditas criadas para espaços convencionais e alternativos.

 

Mais informações: www.sescsp.org.br/bienaldanca2009

 

Destaques da Programação da Bienal SESC de Dança 2009 – 1º a 8 de novembro

 

• Domingo, 1º de novembro - 20h (Convivência - SESC) – Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ) - Duração 20 min - loop – vídeo instalação

 

Claudia Müller desenvolve trabalhos em dança, performance e vídeo. Seu vídeo Fora de Campo (com Valeria Valenzuela), foi premiado no Rumos Dança / Itaú Cultural 2007 e também em festivais no Brasil, Espanha e Chile. Atualmente desenvolve projeto contemplado no Edital 2008 da Secretaria da Cultura – RJ.

Sinopse - A vídeo instalação investiga as frágeis fronteiras realidade/ficção; presença/ausência. Não Encontro a Saída parte da idéia de que a imagem fixa um desaparecimento, algo que já passou. Mas não há uma única versão possível dos fatos. O passado é o modo como ele é visto agora. No trânsito entre o tempo real, cinematográfico e cênico, a imagem busca a reconstrução, no presente, de um passado já perdido.

 

• Domingo, 1º de novembro - 21h (Teatro - SESC) – Espetáculo: Petites Formes – La Nuit des Interprêtes (Ballet de Lorraine - França) - Coreografias de Martha Graham, Isadora Duncan, Maguy Marin e William Forsythe, entre outras.

 

Tendo evoluído sob diversas denominações, o atual Centre Chorégraphique National - Ballet de Lorraine é uma das primeiras companhias de criação e peças de repertório da França. O antigo Ballet Français Théâtre de Nancy, sob a direção de Jean-Albert Cartier, insere-se no quadro da descentralização coreográfica. Em 1988, Patrick Dupond assumiu a direção da companhia que se tornou o Ballet Français de Nancy. Bailarino extraordinário, deixou uma forte marca na memória de um público entusiasta. Em 1991, Pierre Lacotte o sucedeu, e a companhia passou a denominar-se Ballet National de Nancy et de Lorraine. Sua missão então reforçou-se e a ênfase recaiu sobre a produção de obras-primas clássicas e românticas, repertório no qual Pierre Lacotte é especialista. Em 1999, a companhia tomou sua forma atual, tornando-se o Centre Chorégraphique National - Ballet de Lorraine. Françoise Adret assumiu a direção interina durante a temporada  1999/2000. Essa dama da dança francesa deixou a marca de uma personalidade excepcional. Didier Deschamps, nomeado diretor geral do CCN - Ballet de Lorraine em março de 2000, assumiu a direção em 1º de julho de 2000. Desde então, desenvolve um projeto original a serviço da diversidade da criação coreográfica e de repertório, contando principalmente com um grupo permanente de bailarinos de alto nível.

 

Pólo de recursos coreográficos, o CCN mantém numerosas parcerias com diversas instituições artísticas e culturais francesas. Realiza assim um conjunto de missões que se articulam e operam a partir da razão principal da instituição: a criação. Ações de formação, de sensibilização de públicos, acolhimento e apresentação de companhias independentes, exposições, projeções de filmes, conferências pontuam a temporada e propõem diversas formas de prática e de acesso à cultura coreográfica.

Programa composto pelas coreografias:

• LAMENTATION - Coreografia: Martha Graham - Música: Zoltán Kodály – intérprete: Morgan de Quelen

• ÉTUDE RÉVOLUTIONNAIRE - Coreografia: Isadora Duncan - Música: Scriabine intérprete: Morgan de Quelen

LA MÈRE - Coreografia: Isadora Duncan - Música: Scriabine - intérprete: Morgan de Quelen

• BROKEN MAN - Coreografia: Stephan Petronio - Música: Blixa  Bargeld

• TWO - Coreografia: Russel Maliphant - Música: Andy Cowton – intérpretes: Morgan de Quelen e Florence Viennot

• ÉDEN - Coreografia: Maguy Marin - Trilha sonora: Maguy Marin, Yves Bouche, Pierre Colomer (AG. Verdi, the Cure e Public Image Limited) - Intérpretes: Laure Lescoffy e Phanuel Erdmann

• STEPTEXT – Coreografia:  William Forsythe - Música: Jean-Sébastien - Intérpretes: Amandine Mano, Dmitri Domojirov, Mickaël Conte e Cyril Griset

 

Produção realizada pelo Centre Choregraphique National Ballet De Lorraine. O Ccn Ballet De Lorraine é subvencionado pelo Ministère de la Culture et de la Communication – DRAC Lorraine,  Conseil Régional de Lorraine e a cidade de Nancy.

As apresentações do Ballet de Lorraine no Brasil são parte integrante de «França.Br 2009». O Ano da França no Brasil (21 de abril a 15 de novembro), é organizado: na França pelo Comissariado geral francês, pelo Ministério das Relações Exteriores e Européias, pelo Ministério da Cultura e da Comunicação e por Culturesfrance. No Brasil: pelo Comissariado geral brasileiro, pelo Ministério da Cultura e pelo Ministério das Relações Exteriores.

 

• Terça-feira, 3 de novembro - (Bolsa do Café) – Performance: Infiltrações (Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial - PR) - Duração 26 min - *As ações acontecem em diferentes momentos do dia. Agende sua participação pelo tel.: 13.3278 9800.

 

O Couve-flor Minicomunidade Artística Mundial é formada por sete artistas com históricos profissionais variados: Cândida Monte, Cristiane Bouger, Elisabete Finger, Gustavo Bitencourt, Michelle Moura, Neto Machado e Ricardo Marinelli. Juntos partilham desejos de experimentar, discutir, conversar, unir arte, discurso, tecnologia, geografia, política, autonomia, ligar meios de produção e processo artístico, artista e não-artista, arte e cotidiano, campos diferentes e métodos diferentes. O nome de legume vem de uma idéia de fractal presente na couve-flor: cada pedaço fala do todo e o todo fala de cada pedaço.

 

Sinopse - Infiltrações é um conjunto de estratégias e táticas de subversão sensível. A partir de uma observação engajada para um contexto específico, chegasse a mapas e roteiros, a ações quase possíveis e pactos de visibilidade que criam e propõe uma experiência, uma situação instaurada numa fresta do cotidiano. Um buraco cavado no espaço público. Uma quebra de tempo, de permanência, de cor, de forma. Uma falha. Um disco riscado, uma meia furada, um cabelo na sopa, um som chiado. Uma rádio pirata, um pirata. Um suspeito, um suspense, uma previsão, uma ação, uma conspiração, uma ficção, um feitiço. Uma impressão, uma dúvida, um déjà vu.

 

• Terça-feira, 3 de novembro - 18h30 (Deck da Piscina - SESC) – Espetáculo: Estudos para Lesma (Sua Cia - BA) -Duração 30 min – espetáculo

 

A Sua Cia é um grupo de arte, formação e produção cultural, interessado na disseminação do movimento artístico-cultural Conexões Criativas. Desde 2002, vem se destacando no cenário da produção de arte contemporânea nacional. Nesses sete anos de existência, foram produzidos espetáculos, vídeos documentais e artísticos, programas de TV, CD de composições, ilustrações e muitas outras conexões criativas.

 

Sinopse - Estudo para Lesma é uma composição entre dança, música, desenho e poesia. Propõe a investigação sobre as possibilidades de apoios do corpo numa superfície vertical e desdobramento da pesquisa em diversas linguagens artísticas. Intrinsecamente conectada com a poesia de Manoel de Barros – flexibiliza o pensamento, o corpo, o próprio ser. A dançarina, apoiada por uma barra de ferro, desloca-se pela parede estudando movimentos inspirados nas lesmas. Os desenhos, feitos ao vivo e projetados à parede através de um retroprojetor, interagem e ampliam a poesia sugerida na cena.

 

• Terça-feira, 3 de novembro - 20h (Caixa-Preta - SESC) – Espetáculo: Eles Dançam Mal (Clarice Lima - SP) - Duração 40 minutos - Espetáculo

 

Clarice é uma jovem bailarina e coreógrafa, formada pela Escola Superior de Artes de Amsterdam, no departamento de Dança Moderna/Teatro. Estudou na Folkwang Hochschuler na Alemanha e no Colégio de Dança do Ceará. Como bailarina trabalhou com coreógrafos de renome como: Constanza Macras, Jan Fabre, Julie Nioche, Gabriele Steiger, entre outros. Atualmente trabalha como bailarina, assistente de coreografia e professora da J. Garcia & Cia. de Dança, além de desenvolver pesquisa com não bailarinos e suas formas de "dançar mal".

 

Sinopse - Eles Dançam Mal é um projeto coreográfico que propõe utilizar o conceito e a estética dos karaokês para a criação de um espetáculo de dança contemporânea. Tem como objetivo tornar a dança mais acessível, pois se propõe a investigar o "dançar mal" como discurso e expressão cênica. Dessa forma procura diminuir a distância entre o artista e o espectador, pois o foco do trabalho não está na dança do bailarino e sim na dança do espectador, na dança que acontece quando ninguém está olhando. Neste projeto há uma busca por manter essa espontaneidade em cena, acreditando na imprevisibilidade do que é feito no momento da apresentação, tornando assim o movimento mais ridículo, porém mais interessante, dançando bem o "dançar mal".

 

• Terça-feira, 3 de novembro 20h30 (Área externa do Teatro - SESC) – Performance: Perfume para Argamassa (Kleber Damaso e Viviane Domingues - GO) - Duração 35 minutos - Performance

 

Kleber Damaso - Bailarino, coreógrafo e pesquisador. Professor da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG. Graduado em Dança pela UNICAMP. Prêmio FUNARTE de Dança Klauss Viana/2006. Convidado para desenvolver residências coreográficas pelo Centro Dramático de Aragon (Espanha) em 2007. Bolsa de Estímulo à Criação da FUNARTE, 2008. Atualmente desenvolve o projeto Construções Antropomórficas – reinvenções do corpo na fotografia de Karl Blossfeldt e na animação de Lotte Reiniger, através do programa de Pós-graduação em História Cultural da UFG.

Viviane Domingues - Bailarina e pesquisadora, graduanda em Artes Visuais Licenciatura pela UFG. Atuando como pesquisadora e performer no projeto "Intersecções entre os Sentidos e a Ausência", contemplado pela Bolsa Vitae de Artes, em 2005. Atualmente participa como VJ na vídeo-perfomance-instalação "Exúvia".

 

Sinopse - Um ensaio poético e visual através do movimento feito para e em espaços públicos, verticalizando indagações sobre lugares que abrigam e impulsionam a dança a partir da fusão e interação com fotografias de espécies botânicas que cultivamos e projetamos em movimento. Este projeto foi contemplado pela Fundação Nacional de Artes – FUNARTE, no Programa de Bolsas de Estímulo à Criação Artística – Coreografia Dança (Dança).

 

• Terça-feira, 3 de novembro - 21h (Teatro - SESC) – Espetáculo: (Not) A Love Song (Alain Buffard - França) - Duração 55 min – espetáculo

 

Alain Buffard nasceu em 1960 e vive e trabalha em Paris. Começou a dançar em 1978 com o Alwin Nikolais no Centre National de Danse Contemporaine (CNDC) em Angers onde continuou treinando com Viola Farber em 1982. Dançou com os coreógrafos Brigitte Farges, Daniel Larrieu e Régine Chopinot, entre outros. Paralelamente às performances, tornou-se também um associado na Galerie Anne de Villepoix, além de ter sido correspondente para dois jornais diários noruegueses para os quais escreveu sobre as artes visuais em França de 1990 a 1992. Também dirigiu os filmes Des Faits et des gestes (2001) e My lunch with Anna (2005). Apresentou uma exposição chamada Umstellung – Umwandlung (2005) no Tanzquartier em Viena.

 

Sinopse - (Not) a Love Song é a exploração de um novo material cinematográfico, onde a memória das poses, da luz, das vozes, dos gestos, de toda a cena de campo e do artifício se transforma num novo gênero: o musical trágico. As músicas tanto suportam o enredo como as três personagens femininas que vão emergir das nossas memórias cinematográficas coletivas. Relações, sadismo, co-dependência e paixão neste drama que lida com a perda do objeto amoroso e a perda da identidade.  Em (Not) a Love Song, cinema e show business servem de metáfora para a nossa condição em que o fascínio pelo duplo de alguém desdobra-se mais aberta e livremente do que no mundo real. Para que a troca de identidades fosse eficaz, Alain Buffard procurou performers artisticamente ricos, complexos, versáteis e polifórmicos.

 

As apresentações de Allain Buffard no Brasil são parte integrante de «França.Br 2009». O Ano da França no Brasil é organizado: na França pelo Comissariado geral francês, pelo Ministério das Relações Exteriores e Européias, pelo Ministério da Cultura e da Comunicação e por Culturesfrance. No Brasil: pelo Comissariado geral brasileiro, pelo Ministério da Cultura e pelo Ministério das Relações Exteriores.

 

• Quarta-feira, 4 de novembro – 17h (Casa da Frontaria Azulejada) – Espetáculo/Instalação: Verdades Inventadas (Thembi Rosa - SP) - Duração 60 minutos – Espetáculo / instalação

 

Thembi Rosa é bailarina, coreógrafa e pesquisadora. Graduou-se em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais. Realiza trabalhos solo e em parceria com outros criadores desde 2000, dentre eles, Regra de dois (2006); Ajuntamento (2003; 2004); 10x1 – Daqui para onde vamos? (2002) e Propriocepção (2000). Estes projetos tiveram apoio do FID – Fórum Internacional de Dança; Rumos Dança Itaú Cultural; Funarte e dos diversos eventos nos quais foram apresentados.

 

Sinopse - A instalação coreográfica Verdades Inventadas é inspirada na construção de um chão/assoalho no Palácio de Ninomaru em Kyoto, Japão. O chão foi preparado para funcionar como um sistema de alarme (Alarm-Floor). Aqui, evidencia-se a natureza das materialidades que emergem, de nossos corpos e dos sons. Estes se dão pela co-relação, co-definição entre corpo e mundo.

 

• Quarta-feira, 4 de novembro - 19h (Caixa-preta - SESC) – Espetáculo: Ensaio (Projeto DR - SP) - Duração 55 min – espetáculo

 

Co-idealizado por Laura Bruno, Mara Guerrero, Sheila Arêas e Tarina Quelho, o Projeto DR discute as relações entre processo artístico e produto, criação colaborativa, formas de produção e difusão de dança. Estas questões já foram desenvolvidas em diferentes etapas: "Episódico" (SESC SP 2009 / I Festival Contemporâneo de Dança de São Paulo 2008), DR Emergência, (realizado em parceria com a mostra Emergência, do Itaú Cultural, 2008), Projeto DR interdisciplinar (contemplado pelo edital Caixa Cultural 2007), Cartografia DR (contemplado pelo Prêmio Funarte Klaus Viana 2007) e DR – discutindo as relações (contemplado pelo 1º Fomento à Dança da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo, 2006).

 

Sinopse - Em Ensaio as integrantes do Projeto DR partem da realidade autobiográfica de seus processos de criação para criar uma ficção sobre estes. Construindo uma performance na qual as cenas são constantemente estudadas, borra-se os limites entre o acontecimento real e a encenação. As performers alternam-se entre expor a precariedade da criação e atuar sobre ela. Ensaio aproxima-se do universo dos reality shows ao questionar as fronteiras entre realidade e encenação. Dialoga com a crescente espetacularização da vida proporcionada por este gênero e com os limites entre ficção e realidade, arte e vida, mentira e verdade.

 

• Quarta-feira, 4 de novembro - 21h (Teatro - SESC) – Espetáculo: Black Swan (Gilles Jobin - Suíça) - Duração 55 min – espetáculo

 

Gilles Jobin trabalha e vive em Genebra. Ele criou Black Swan em 2009, à parte de suas próprias produções, e fez da sua companhia e do Studio 44 um espaço pioneiro em termos de oferta de formação profissional para bailarinos, lutando para o reconhecimento da dança contemporânea na Suíça e estimulando intercâmbio internacional, através de várias iniciativas.

 

Sinopse - "Evitar o que é previsível no vocabulário da dança assim como nas estruturas composicionais": esta estética postulada por Gilles Jobin é confirmada por cada criação nova sua, distinguindo o seu trabalho dos anteriores, e encorajando a audiência a "quebrar os seus hábitos". Pode-se dizer que este é exatamente o tema de Black Swan; em todos os momentos, a sua nova peça espanta, surpreende, diverge numa direção inesperada; e, paradoxalmente, isso também pode iniciar, com o seu criador que está sempre à procura, um interesse renovado na coreografia pura. Mesmo que o Gilles Jobin não considere nenhum dos assuntos com os quais a dança tem tido que lidar no curso dos últimos anos; ele não se limita a nada e continua em frente, levando cada vez mais longe as questões sobre o seu material: o corpo e a sua prática; mas também o mundo real que não pára de flutuar...

No palco vemos peluches, pequenos cavalos e marionetes lado a lado. O coreógrafo dá o impulso, sugere um gesto, dá instruções, depois abandona isso ao critério dos bailarinos; e de repente atira um boneco, e depois outro, entre a forma dos movimentos dos corpos entrelaçados para ver a sua reação. A partir desta aleatoriedade surge a imagem confusa destas formas humanas misturadas com formas animais em uma massa misturada, como devolvida à indiferenciação primordial.

Quinta-feira, 5 de novembro – 20h (Caixa-preta - SESC) – Espetáculo: Natureza Morta (Grupo A3 - RJ) - Duração 40 min - Espetáculo

 

Formado no início de 2009 pelo encontro de três artistas – João Paulo Gross, Maíra Maneschy e Verônica Prates, o A3 vem discutir e tensionar os limites entre dança, teatro e performance, investigando e produzindo pesquisas cênicas contemporâneas. Natureza Morta é o primeiro trabalho resultante deste encontro que trouxe para a A3 o primeiro lugar na Mostra Novíssimas Pesquisas Cênicas, 2009 do CEAE – Centro de Estudo Artístico Experimental – Sesc Tijuca – Sob a coordenação de Ana Kfouri.

 

Sinopse - Pesquisa cênica livremente inspirada na vida e obra do artista plástico Farnese de Andrade, "O Arquiteto da Dor", em diálogo com o barroco e sua riqueza de linguagem. Dois intérpretes criam metáforas de um passado com presente, recuperando lembranças, vasculhando suas histórias e tentando entender o que temos feito com nossas emoções. Mais do que apresentar respostas, o espetáculo quer trazer o espectador para junto da obra através de um lento caminhar dos olhos sobre as imagens e ações da dramaturgia.

 

Quinta-feira, 5 de novembro - 21h (Teatro – SESC) – Espetáculo: Embodied Voodoo Game (Cena 11 - SC) - Duração: 60 min – espetáculo

 

O Grupo Cena 11 Cia. de Dança desenvolve uma técnica particular e instaura projetos de pesquisa e formação, sempre com o propósito de confluir teoria e prática no entendimento de dança. Um núcleo de criação, com formação em várias áreas, compõe a base para uma produção artística em que a idéia precisa ganhar expansão num corpo e organizar-se como dança. Desde 1995 os espetáculos da Cia. circulam por todas as regiões do país e fora dele como na Alemanha e em Portugal. Atuando no território de produção e pesquisa artística em dança contemporânea, performance, intervenções urbanas e áreas afins, o Cena 11 está habilitado a agregar, preparar e trocar com artistas, público e teóricos, conceitos éticos e estéticos sobre o corpo e o ambiente onde este corpo está inserido.

 

Sinopse - Corpo vodu e vídeo-game: as funções de corpo do Cena 11 correlacionadas com o conceito de "game play". Os oito bailarinos executam uma formulação coreográfica inédita estruturada em material já produzido pela Cia. e vinculada a uma exposição teórico-prática dos argumentos que relacionam corpo e vídeo-game no campo de entendimento do Grupo Cena 11. Elementos cênicos como o Acelerômetro (sensor de aceleração e movimento) e um controle de Nintendo Wii são usados pelos bailarinos para controlar som e vídeo. A platéia é convidada, em determinado momento, a participar do jogo compartilhando das ações de controle propostas pela Cia. na construção de um comportamento cênico.

 

• Sábado, 7 de novembro - 14h (Parque Roberto Mário Santini) – Espetáculo: Corpomancia: Um Jogo de Dança em Cena (Coletivo Corpomancia) - Duração 50 minutos - Espetáculo

 

Um grupo de bailarinas reunido em fevereiro de 2008 precisava de um nome. Surgiu Coletivo Corpomancia. De lá pra cá, elas vem aprendendo o que é ser coletivo. O núcleo fixo do grupo é formado por Ana Maria Rosa (engenheira e educadora ambiental e artista da dança), Franciella de Andrade Cavalheri (artista de dança), Luiza Rosa (Jornalista e artista de dança), Paula Bueno (graduada em design e dançarina).

 

Sinopse - Corpomancia é um jogo-espetáculo de improviso e criação. Foi a primeira produção artística do Coletivo, que se apresentou durante todo o ano de 2008 em festivais, mostras e temporada de apresentações em Campo Grande e em cidades do interior do estado de Mato Grosso do Sul. Em um tabuleiro em formato de espiral, as intérpretes vão desenvolvendo performances curtas a partir do número tirado no dado, de cartas sorteadas e da casa em que o seu peão estiver no tabuleiro. Interatividade é uma das palavras-chaves no espetáculo. O público pode ser também convidado a participar dançando, propondo desafios às jogadoras e pode, de fato, mudar o destino do espetáculo.

 

• Sábado, 7 de novembro – 18h (Caixa-preta - SESC) – Espetáculo: Occo (Marcela Reichelt - SC) - Duração 52 minutos - Espetáculo

 

Marcela Reichelt iniciou seus estudos de dança em Porto Alegre, em 1985. Integrou durante 6 anos, como bailarina, o Grupo Cena 11 Cia. de Dança. Junto ao grupo participou de Mostras Internacionais: InTransit (Berlin) 2004 e 2006, MoveBerlin 2005 e em 2008 do Kampnagel (Hamburgo). Em 2009 foi premiada, na categoria Dança, no 13º Festival da Cultura Inglesa de São Paulo, pelo espetáculo que criou e interpretou "Como Risco em Papel".

 

Sinopse - Occo questiona a imagem social do corpo. O corpo é a principal marca identitária. Marcas adquiridas com o tempo e propostas pela cultura desse corpo. Occo transita em sua natureza para desvendar sua identidade. Metáforas são criadas pelos signos nos objetos utilizados, pelas imagens exibidas, na junção de informações expostas na cena. O tempo condiciona o olhar e reflete no diálogo que constrói através da escrita corporal, e de como alguns pontos são abordados. O trabalho traz um forte olhar para o corpo no tempo conjugado aos pensamentos coletivos inerentes a ele.

 

• Sábado, 7 de novembro – 19h (Fosso do Teatro) – Espetáculo: Quase Ela (Três Momentos de Saudade) - Morena Nascimento – estréia da coreografia da bailarina brasileira da Cia. Pina Bausch - Brasil/Alemanha

 

Com estréia no Brasil o trabalho apresenta o percurso do tempo no trabalho de Morena Nascimento. Dividido em três momentos que se diluem e se fundem em cena, "Quase ela" apresenta uma espécie de compilação entre três solos desenvolvidos a partir de 2005, período de sua chegada na Alemanha, para estudar e integrar o Tanztheater Wuppertal, dirigido pela coreógrafa alemã Pina Bausch. São três quadros, três pinturas diferentes, como um tríptico, que evidenciam as adaptações de um corpo frente à uma linguagem nova e sistematizada. Sem contar com narrativas cênicas lineares, o trabalho une "Lady Marmalade" (um solo criado em 2005, já na Alemanha), uma homenagem à Pina Bausch (trabalho desenvolvido após a recente morte da coreógrafa em 2009) e uma síntese desses acontecimentos no tempo presente e na dança transformada no corpo da artista que, na condição de estrangeira, exerceu por um determinado momento um trabalho puramente de intérprete, seguindo propostas artísticas pré-concebidas e dirigidas, criadas por uma artista de outra geração, que está inserida em outro contexto cultural e poético. Uma passagem, um ciclo, uma elaboração. Numa tentativa de dar senso a isso tudo, "Quase ela" representa um "respiro" frente às últimas experiências vividas por Morena, organizando e compilando impressões, marcas deixadas por este período, reverenciando seu país, num gesto de inquietação, celebração e saudade.

 

• Sábado, 7 de novembro – 21h (Teatro - SESC) – Espetáculo: Breu e Ímã (Grupo Corpo - MG) - Duração 40 min – espetáculo

 

Fundado em Belo Horizonte, em 1975, o Grupo Corpo é uma companhia de dança contemporânea, eminentemente brasileira em suas criações. Sua carreira vem sendo marcada por sucessivas metamorfoses, mas sempre norteada por três preocupações: a definição de uma identidade, vinculada a uma idéia de cultura nacional (com toda a fluidez que isso implica); a continuidade do trabalho, pensado a longo prazo; e a integridade na sustentação de padrões autoimpostos de elaboração.

 

Sinopse Breu - Tradução poética da violência e da barbárie dos dias que vivemos, Breu, balé que o Corpo estreou em 2007, é a mais demolidora partitura de movimentos escrita por Rodrigo Pederneiras em 30 anos de atividade como coreógrafo da companhia mineira de dança. Para expressar em movimentos a densa e lancinante trilha sonora criada por Lenine, coreógrafo e bailarinos precisaram deixar de lado a sensualidade, o lirismo, a alegria e a brejeirice que, desde 1992, caracterizam o trabalho do grupo e partir para formulação de novos códigos de movimento. Desta vez, a potência, a angulosidade e a rispidez dão o tom do balé. A brusquidez das quedas e uma penosa morosidade nas subidas parece condenar os corpos a se reter por mais tempo ao rés chão e, desta forma, a mover-se com o auxílio da pélvis, dos pulsos, dos cotovelos, dos joelhos, dos tornozelos, dos calcanhares. Para se manter de pé ou ficar por cima, é preciso ignorar o outro e encará-lo como inimigo. O individualismo, o triunfo a qualquer preço e a disposição para o confronto como estratégia apriorística de sobrevivência parecem reger a movimentação dos bailarinos no decorrer dos quarenta minutos de espetáculo. A música original de Lenine combina uma vasta gama de timbres, samplers, efeitos, citações e estilos, na construção de uma instigante babel sonora, concebida como uma peça única, de oito movimentos, que vão do hard rock à tradição de gêneros populares brasileiros. Paulo Pederneiras emoldura o espaço cênico com grandes placas negras e brilhantes, dispostas lado a lado com precisão geométrica, remetendo à frieza própria das superfícies azulejadas. De malhas inteiriças e todo em preto e branco, os figurinos criados por Freusa Zechmeister dividem ao meio o corpo dos bailarinos: enquanto na região frontal têm preponderância as estampas geométricas variadas, as costas ganham, de alto a baixo, um negro intenso e brilhante. Sob a incidência da luz, o brilho das malhas ressalta as saliências e concavidades das formas, fazendo com que, aqui e ali e por frações de segundo, os bailarinos se misturem ao cenário, emprestando volume e sinuosidade à sua estética retilínea e bidimensional.

 

Sinopse Ímã - As polaridades intrínsecas à condição humana e o princípio de interdependência e complementaridade que rege as relações foram o ponto de partida para a criação de ímã pelo coreógrafo Rodrigo Pederneiras. Suave e vital, trivial e estranho, harmônico e dissonante, o balé do Grupo Corpo é pontilhado com duos e marcado pela alternância constante entre o cheio e o vazio na ocupação do espaço cênico. Com música especialmente composta pelo + 2, trio brasileiro formado por Domenico, Kassin e Moreno, cenografia e iluminação de Paulo Pederneiras, e figurinos de Freusa Zechmeister, o espetáculo fez sua estreia mundial em São Paulo, Brasil, em agosto de 2009.

 

• Sábado, 7 de novembro - 22h30 (Convivência - SESC) – Espetáculo: Mefisto Brasileiro (Núcleo de Criação do Dirceu - PI) - Duração 45 minutos - Espetáculo

 

O Núcleo de Criação do Dirceu é uma plataforma voltada para a pesquisa e o desenvolvimento das artes performáticas, atuante dentro de um contexto de arte como geração de conhecimento, construção de uma identidade cultural e inclusão social. Todo trabalho acontece dentro do âmbito da arte contemporânea, tomando o corpo como ponto de partida e suporte para a expressão de uma personalidade com ecos no universal. Prêmio APCA 2008 de melhor trabalho de dança contemporânea aplicada as políticas públicas.

 

Sinopse - Mefisto Brasileiro é o resultado de uma pesquisa realizada durante um ano, apoiada no texto teatral clássico Fausto de Goethe, importante dramaturgo alemão. É um paralelo entre Mefisto e o Exu Zé Pelintra, em que se discute a relação do homem com o consumismo voraz como metáfora da alma vendida ao diabo.

 

• Domingo, 8 de novembro – 16h30 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Espetáculo: The Night Will Be Black (Astrid Takche - RJ) - Duração 30 min – espetáculo

 

Astrid Takche formou-se em dança contemporânea na escola Angel Vianna e na London Contemporary Dance School e freqüentou o curso de cenografia na escola de teatro da Universidade do Rio de Janeiro. Recentemente concluiu a graduação em dança na Universidade Paris VIII e cursou o último ano de graduação em Filosofia na Universidade Paris I / Sorbone. Coordenou e participou enquanto intérprete – criadora de um projeto de intercâmbio entre Brasil e França: Croisements / Cruzamentos.

 

Sinopse - O ponto de partida deste solo nasceu da observação de jovens e crianças que vivem nas ruas do Rio de Janeiro, mais precisamente no bairro de Copacabana. Comecei a documentar através de fotografias situações cotidianas vividas por esta população e me dei conta de que na maior parte do tempo os corpos se encontram deitados, dormindo ou dopados. E que na maioria das vezes são negros. Eu sou branca e não sou moradora de rua, como abordar este tema? Essa foi a pergunta que moveu a criação. Comecei então uma pesquisa que se baseou nas imagens que havia produzido desse corpo e de suas características. Trabalhei a partir de posições deitadas, com o estar próximo ao chão, com o se arrastar. Nesse processo, gestos, estados corporais e movimentos começaram a surgir e a direcionar a "dramaturgia" do trabalho.

 

• Domingo, 8 de novembro – 19h (Caixa-preta - SESC) – Espetáculo: Dúplice (Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha - GO) -Duração 55 min – espetáculo

 

Rodrigo Cruz - Graduação em Educação Física (UEG). Participou na montagem de 5 espetáculos: Registro (5 Prêmios Mambembe Funarte/1998), O+ ("O" Positivo), Só Tinha de ser com Você, Uma História Invisível e Por Instantes de Felicidade. Atualmente Pós-Graduado em "Ensino da Música e processos Interdisciplinares em Arte (UFG)". "Dúplice" ganhou o Prêmio de melhor espetáculo no Festival de Artes Cênicas "Goiânia em Cena 2008" e Prêmio Funarte "Klauss Vianna 2008".

Rodrigo Cunha - Graduado em Artes Cênicas (UFG). Premiado como melhor ator e com o melhor espetáculo no Festival de Artes da Cidade de Goiás (2000). Premiado como melhor ator no Festival de Teatro de Ponta Grossa – PR (2001). Professor de projetos de arte-educação junto à Prefeitura de Goiânia, ao Governo Estadual de Goiás e à Fundação Jaime Câmara, além de lecionar Teatro na Vivace – Escola de Teatro e Dança. Atualmente integra o Grupo de Teatro Cabessa de Vaca e trabalha no aprimoramento do espetáculo "Dúplice".

 

 

INGRESSOS À VENDA

 

Espetáculos no Teatro do SESC – Ingressos – R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes).

 

Eventos na Caixa-Preta e no Fosso do Teatro no SESC – Grátis, retirar o ingressos com 1 hora de antecedência.

 

Eventos na Casa da Frontaria Azulejada, Pinacoteca Benedicto Calixto, Bolsa do Café, Espaços alternativos do SESC e Conexões Paralelas – Grátis, limitados a capacidade dos locais.

 

A Bienal SESC de Dança 2009 tem espetáculos gratuitos no Centro Velho, Orla da Praia, Praças e nas dependências do SESC.

 

LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO EVENTO

 

Espaços Urbanos

 

Centro Velho: Bolsa do Café (Rua XV de novembro, esquina com Frei Gaspar); Boulevard da Rua XV de Novembro; Praça Mauá; Casa da Frontaria Azulejada.

 

Orla da Praia: Gonzaga - Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340); Parque Municipal Roberto Mário Santini; Pinacoteca Benedicto Calixto; Praça do Sapo (Praia da Aparecida); Praça do Aquário; Museu de Pesca.

 

Espaços do SESC Santos (Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, tel.: 13.3278.9800): Teatro; Área externa do teatro; Fosso do teatro; Foyer do teatro; Caixa-preta; Convivência; Sanitário da convivência; Internet Livre; Deck da Piscina

 

Assessoria de Imprensa/Bienal de SESC de Dança

Quatro Elementos Comunicação & Mkt. Cultural

 

Manoel Carlos Jr.                       - manecojr@uol.com.br

Daniela Oliveira                          - dani.4@uol.com.br

Luciana Lamanna                       lu.4@uol.com.br

Luiza Goulart                             - luiza.4@uol.com.br

Telefones: (11) 3667.9826 / 3663.1568 / 3661.2445

 

GRADE DE PROGRAMAÇÃO – BIENAL SESC DE DANÇA 2009

 

 

Dia 1º de novembro (domingo)

• 12h30 (Estação da Cidadania) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 16h30 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 17h30 (Praça do Aquário) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 20h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 20h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 20h30 (Área externa do Teatro - SESC) - Grátis – Performance: Perfume para Argamassa (Kleber Damaso e Viviane Domingues - GO)

 

• 21h (Teatro - SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculo: Petites Formes – La Nuit des Interprêtes (Ballet de Lorraine - França)

 

Dia 3 de novembro (terça-feira)

• (Bolsa do Café) – Grátis - Performance: Infiltrações (Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial - PR) Agendar horário pelo telefone: 13-32789800

 

• 11h (Sala 01 - SESC) – Grátis - Conexões Paralelas - Oficina: Alain Buffard – França

 

• 12h30 (Praça Mauá) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 15h (SESC) – Grátis - Conexões Paralelas- Mesa: Políticas de Ações para a dança no Brasil e exterior 

 

• 17h (Praça Mauá) – Grátis - Performance: Jam de Danças Urbanas (Frank Ejara & Discípulos do Ritmo + Steven Haper- SP/RJ)

 

• 17h30 (Estação da Cidadania) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 18h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Estudos para Lesma (Sua Cia - BA)

 

• 18h30 (Internet Livre - SESC) – Grátis - Instalação: Vip (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 19h (Fosso do Teatro - SESC) – Grátis - Espetáculo/Instalação: As Minhas Tuas Lágrimas (Núcleo Fronteiras - SP)

 

• 20h (Caixa-Preta - SESC) – Grátis - Espetáculo: Eles Dançam Mal (Clarice Lima - SP)

 

• 20h30 (Área externa do Teatro - SESC) – Grátis - Performance: Perfume para Argamassa (Kleber Damaso e Viviane Domingues - GO)

 

• 21h (Teatro - SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculo: (Not) A Love Song (Alain Buffard – França)

 

 

Dia 4 de novembro (quarta-feira)

• 10h (Sala 01 - SESC) – Grátis - Conexões Paralelas – Oficina- Gilles Jobin (Suíça)

 

• 11h (Auditório SESC) – Grátis - Conexões Paralelas - Mesa – Relações da dança com redes conectivas.

 

• (Bolsa do Café) – Grátis - Performance: Infiltrações (Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial - PR) – *Agendar por tel. 3278-9800

 

• 12h30 (Praça Mauá) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 13h30 (Boulevard da Rua XV de Novembro) – Grátis - Intervenção: Isto é Apenas uma Mulher (Núcleo Vagapara - BA)

 

• 15h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: O Engenheiro que Virou Maçã (Rita Aquino - BA)

 

• 15h (SESC) – Grátis - Conexões Paralelas - Painel: Jan Schmit (Jerome Robbins Dance Division- EUA).

 

• 17h (Casa da Frontaria Azulejada) – Grátis - Espetáculo/Instalação: Verdades Inventadas (Thembi Rosa - SP)

 

• 18h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h (Estação da Cidadania) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 18h (Auditório) - Grátis - Simpósio Bienal - Café Conversa - Atuações de representantes de coletivos e residentes brasileiros no contexto nacional e estrangeiro

 

• 18h30 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis - Performance: Jam de Danças Urbanas (Frank Ejara & Discípulos do Ritmo + Steven Haper- SP/RJ)

 

• 18h30 (Internet Livre - SESC) – Grátis - Instalação: Vip (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 18h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Estudos para Lesma (Sua Cia. - BA)

 

• 19h (Caixa-preta - SESC) – Grátis - Espetáculo: Ensaio (Projeto DR - SP)

 

• 20h (Fosso do Teatro - SESC) – Grátis - Espetáculo/Instalação: As Minhas Tuas Lágrimas (Núcleo Fronteiras - SP)

 

• 21h (Teatro - SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculo: Black Swan (Gilles Jobin- Suíça)

 

• 22h30 (Convivência - SESC) – Grátis – Espetáculo: Legenda Diet (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

Dia 5 de novembro (quinta-feira)

• (Bolsa do Café) – Grátis – Performance: INFILTRAÇÕES (Couve-Flor Minicomunidade Artística  Mundial - PR) - *Agendar por telefone 13- 3278-9800

 

• 12h00 (Praça Mauá) – Grátis – Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 12h30 (Praça Mauá) – Grátis – Performance: Jam de Danças Urbanas (Frank Ejara & Discípulos do Ritmo + Steven Haper-SP/RJ)

 

• 12h30 (Bolsa do Café) – Grátis – Espetáculo: Olho em Pausa (Cooperação Sul - RS)

 

• 12h30 (Boulevard da Rua XV de Novembro) – Grátis – Intervenção: Isto é Apenas uma Mulher (Núcleo Vagapara - BA)

 

• 17h00 (Estação da Cidadania) – Grátis – Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 17h00 (Internet Livre - SESC) – Grátis – Espetáculo: Eles Dançam Mal (Clarice Lima - SP)

 

• 17h30 (Casa da Frontaria Azulejada) – Grátis – Espetáculo/Instalação: Verdades Inventadas (Thembi Rosa - SP)

 

• 17h30 (Praça Mauá) – Grátis – Instalação: Espaço para Dança (Angioma Organismo de Arte - MG)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis – Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h30 (Convivência - SESC) – Grátis – Instalação/espetáculo: O Engenheiro que Virou Maçã (Rita Aquino - BA)

 

• 18h30 (Casa da Frontaria Azulejada) – Grátis – Espetáculo: Clariceanas (Quik e colaboradores - MG)

 

• 19h00 (Fosso do Teatro - SESC) – Grátis – Espetáculo: Composição para Guitarras e Escápulas – e outras Partes (Cooperação Sul - RS)

 

• 19h00 (Internet Livre - SESC) – Grátis – Instalação: Vip (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 19h30 (Fosso do Teatro - SESC) – Grátis – Espetáculo: Faz de Conta que Ela não Estava Chorando por dentro... (Rita Nascimento – Santos SP)

 

• 20h00 (Caixa-preta - SESC) – Grátis – Espetáculo: Natureza Morta (Grupo A3 - RJ)

 

• 21h00 (Teatro – SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculo: Embodied Voodoo Game (Cena 11 - SC)

 

• 21h30 (Lanchonete) – DJ+ Projeto Nave Vol.2+DJ Nyack+ Mídia Dub) – FESTA do evento

 

Dia 06 de novembro (sexta)

• 10h00 – (Sala 01 - SESC) – Grátis – Conexões Paralelas - Workshop Alejandro Ahmed/Cena11- SC

 

• 13h30 (Estação da Cidadania) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 13h30 (Externa – SESC) – Grátis – Intervenção: Isto é Apenas uma Mulher (Núcleo Vagapara - BA)

 

• 16h00 (Convivência) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos / JAM (Bailarinos de Santos - SP)

• 17h30 (Estação da Cidadania) – Grátis - Instalação: Espaço para Dança (Angioma Organismo de Arte - MG)

 

• 18h00 (Fonte do Sapo) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Grupo de Santos - SP)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis – Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h30 (Caixa-preta - SESC) – Grátis - Leia-me (Ivana Barreto - RJ)

 

• 19h00 (Internet Livre - SESC) – Grátis - Instalação: Vip (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 19h00 (Fosso do Teatro) – Grátis - Espetáculo: SIM ações integradas de consentimento para ocupação e resistência. Ação#3 (Cena 11)

 

• 20h00 (Caixa-preta - SESC) – Grátis - Espetáculo: Clariceanas (Quik e colaboradores - MG)

 

• 21h30 (Fosso do Teatro) – Grátis - Espetáculo: SIM ações integradas de consentimento para ocupação e resistência. Ação#3 (Cena 11- SC)

 

• 22h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Jogo de Dança II (Coletivo Gt´aime + Silenciosas - SP)

 

Dia 07 de novembro (sábado)

• 10h00 (sala01 - SESC) – Grátis - Conexões Paralelas- Oficina: Produção em dança – Dora Leão

 

• 12h00 (Deck da Piscina - SESC) – Grátis – Espetáculo: Jogo de Dança III (Coletivo Gt´aime + Silenciosa - SP)

 

• 14h00 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis – Espetáculo: Corpomancia: Um Jogo de Dança em Cena (Coletivo Corpomancia)

 

• 14h00 (Praça do Aquário) – Grátis – Instalação: Espaço para Dança (Angioma Organismo de Arte - MG)

 

• 16h00 (Fonte do Sapo) – Grátis – Performance: Jogos Coreográficos ( Bailarinos  de Santos - SP)

 

• 16h30 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis – Espetáculo: Salve: as Baleias e as Crianças (Grupo Gestus - SP)

 

• 16h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Jogo de Dança III - JAM SESSION (Coletivo Gt´aime + Silenciosa - SP)

 

• 17h00 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Grátis - Espetáculo: Um Leite Derramado (Ornamento da Massa - SP)

 

• 17h30 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Grátis - Espetáculo: Faz de Conta que Ela não Estava Chorando por dentro... (Rita Nascimento - SP)

 

• 17h30 (Museu da Pesca) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 17h30 (Convivência (Sanitário) - SESC) – Grátis - Intervenção: Madame Pipi (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 17h30 (Internet Livre - SESC) – Grátis - Instalação: Leia-me (Ivana Barreto - RJ)

 

• 18h00 (Auditório – SESC) – Grátis - Conexões Paralelas - Café Conversa- Atuação de representantes de coletivos e residentes brasileiros no contexto nacional e estrangeiro.

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h00 (Caixa-preta - SESC) – Grátis - Espetáculo: Occo (Marcela Reichelt - SC)

 

• 19h00 (Fosso do Teatro) – Grátis - Espetáculo: Quase Ela (três momentos de saudade) - Morena Nascimento- Brasil/Alemanha

 

• 21h00 (Teatro - SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculos:  BREU e Ímã (Grupo Corpo - MG)

 

• 22h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Mefisto Brasileiro (Núcleo de Criação do Dirceu - PI)

 

Dia 08 de novembro (domingo)

• 11h00 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis - Espetáculo: Jogo de Dança III (Coletivo Gt´aime + Silenciosa - SP)

 

• 12h30 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos ( Bailarinos de Santos - SP)

 

• 14h00 (Deck da Piscina - SESC) – Grátis - Performance: Jogos Coreográficos (Bailarinos de Santos - SP)

 

• 15h00 (Parque Roberto Mário Santini) – Grátis - Intervenção: Madame Pipi (Dona Orpheline / Sheila Ribeiro - SP)

 

• 15h00 (Praça do Aquário) – Grátis - Espetáculo: Salve: as Baleias e as Crianças (Grupo Gestus - SP)

 

• 16h30 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Grátis - Espetáculo: The Night Will Be Black (Astrid Takche - RJ)

 

• 16h30 (Convivência - SESC) – Grátis - Espetáculo: Corpomancia: Um Jogo de Dança em Cena (Coletivo Corpomancia - MS)

 

• 17h00 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Grátis - Espetáculo: Que as Saídas Sejam Múltiplas (Alice Ripoll e Fernando Klipel - RJ)

 

• 17h30 (Pinacoteca Benedicto Calixto) – Grátis - Espetáculo: Repetição e/ou Transformação (Célia Faustino - SP)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Um Alemão Chamado Severino (Grupo Quitanda - BA)

 

• 18h00 (Convivência - SESC) – Grátis - Instalação: Não Encontro Saída (Cláudia Müller - RJ)

 

• 18h00 (Teatro - SESC) – Ingressos: R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha); R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculados e dependentes) - Espetáculos: Breu e Imã (Grupo Corpo - MG)

 

• 19h00 (Caixa-preta - SESC) – Grátis - Espetáculo: Dúplice (Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha - GO)

 

• 20h00 (Fosso do Teatro - SESC) – Grátis - Espetáculo/Instalação: Corpo Plástico #8 (Companhia Flutuante - SP)